Schumacher diz que a Ferrari voltou

Michael Schumacher e Rubens Barrichello desembarcaram em Budapeste, na quinta-feira, resignados. Disseram que o GP da Hungria seria um dos piores para a equipe, pela natureza dos 4.381 metros da pista, bem sinuosa, condição em que os pneus são ainda mais determinantes. Neste sábado, depois de ser o mais veloz na sessão de classificação, Schumacher afirmou. "Estou surpreso. Mudamos radicalmente a concepção de nossos pneus (Bridgestone) e estamos, agora, recebendo os dividendos de tanto trabalho". A corrida, neste domingo, no circuito Hungaroring, dirá a verdade, segundo o alemão. "Sabemos que em classificação nossos novos pneus são eficientes. Temos indicações de que em corrida também, mas até disputarmos o primeiro GP não podemos afirmar nada". Sua experiência de 15 anos de Fórmula 1, no entanto, o autoriza a afirmar, como falou. "Acho que a Ferrari está, definitivamente, de volta à velha forma". A equipe italiana monopoliza o Mundial de Construtores desde 1999 e o de Pilotos desde 2000, com Schumacher.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.