Schumacher diz que não deu o máximo

Antes de iniciar o primeiro treino livre do GP do Japão, realizado nesta quinta-feira, no horário de Brasília, o campeão do mundo, Michael Schumacher, da Ferrari, admitiu que não deu tudo de si nas duas últimas etapas do campeonato, quando chegou em quarto colocado em Monza e em segundo em Indianápolis. "Tenham a certeza de que darei o máximo do meu desempenho novamente", afirmou o alemão. Nesta sexta-feira à noite, da 1 às 2 horas, será disputada a sessão que definirá o grid na última etapa da temporada, em Suzuka. Apesar do interesse em vencer demonstrado por Michael, a Ferrari está centralizando sua atenção em Rubens Barrichello, por pretender que ele seja o vice-campeão. Michael qualificou seu campeonato como o "melhor" de todos. "Não há a menor dúvida disso. Tudo esteve no lugar certo na hora exata." O alemão venceu oito provas este ano e estabeleceu 10 pole positions, além de bater o recorde do número de vitórias e de pontos numa mesma temporada. "Produzimos um carro competitivo para todos os circuitos, exceto Hockenheim, e que quebrou apenas duas vezes, em Ímola e em Hockenheim." Testes: A equipe Williams confirmou hoje que o piloto amazonense, de 21 anos, será o seu segundo piloto de testes em 2002. Ele trabalhará ao lado do espanhol Marc Gené, além de disputar sua segunda temporada da Fórmula 3000 pela Petrobras Junior, escuderia ligada à Williams. "Só em janeiro temos programado 18 dias de testes", disse Jonathan Williams, filho de Frank Williams, para explicar que Pizzonia fará muitos quilômetros de testes.

Agencia Estado,

11 de outubro de 2001 | 19h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.