Schumacher diz que será difícil repetir 2002

O líder do Mundial, Michael Schumacher, da Ferrari, afirmou hoje que será difícil repetir domingo a imensa satisfação vivida no GP da Alemanha do ano passado. "Nós chegamos aqui, em 2002, depois de definir a conquista do título, na França, e pela primeira vez venci com a Ferrari diante da minha torcida. Senti-me, no pódio, a pessoa mais feliz do mundo." A realidade agora, contudo, é outra: "Tudo ficou bem mais complicado e o circuito de Hockenheim não é o melhor para nosso carro, mas fizemos grande progressos antes da prova de Silverstone." Nas três últimas etapas do campeonato, os GPs da Europa, França e Grã-Bretanha, o melhor resultado de Schumacher foi um terceiro lugar, na França. Mesmo assim ele mantém-se em primeiro na classificação, com 69 pontos, diante de 62 de Kimi Raikkonen, da McLaren, 55 de Juan Pablo Montoya, 53 de Ralf Schumacher, ambos da Williams, e 49 de Rubens Barrichello, seu companheiro de equipe. "Este ano estamos tendo a oportunidade de verificar o verdadeiro potencial de cada time nas pistas onde não treinamos", comentou. Antes da corrida de Silverstone, vencida por Rubinho de forma espetacular, a Fórmula 1 havia se apresentado nos circuitos de Nurburgring e Magny-Cours, traçados não utilizados para treinos particulares, e em ambos deu Williams, com Ralf Schumacher. Não parece ser apenas jogo de cena. Rubinho da mesma forma afirmou hoje que não só a Williams, mas a McLaren também tornará a tarefa de repetir o excelente resultado no GP da Grã-Bretanha bem difícil. "Além das duas, até a Renault pode entrar na luta conosco pela vitória." O que mais caracterizou seu desempenho em Silverstone foram as ultrapassagens, menos possíveis na prova do fim de semana. "Na nova Hockenheim dá ainda para se ultrapassar, embora não como no traçado antigo." Em 2000, Rubinho obteve sua primeira vitória na Fórmula 1 vencendo no velho circuito, depois de largar em 18.º e realizar várias ultrapassagens. Hoje parte daquela pista foi transformada na extensão da floresta onde se acha o autódromo. Apesar da bela disputa pela liderança do Mundial, como há muito não se via, a venda de ingressos para o GP da Alemanha, 12.ª etapa da temporada, é pequena se comparada à de outros anos. Os números não foram distribuídos, mas um informe da agência alemã DPA mostra que os organizadores da prova tiveram de investir em publicidade para promover a comercialização de ingressos. Hoje no início da noite a temperatura em Heidelberg, cidade localizada a cerca de 25 quilômetros de Hockenheim, era de 25 graus e vez por outra caía alguns pingos de chuva. Se o asfalto estiver molhado, domingo, Schumacher e Rubinho devem largar em vantagem na luta com os pilotos da Williams e McLaren. Ao menos até agora os pneus Bridgestone, usados pela Ferrari, têm se mostrado mais eficientes na chuva que os da Michelin, utilizados por Williams e McLaren. Mercado - O jornal inglês The Daily Telegraph publicou hoje que Juan Pablo Montoya irá correr na McLaren no lugar de David Coulthard, já em 2004. E seu lugar na Williams ficará com Mark Webber, da Jaguar, enquanto Coulthard passa da McLaren para a Jaguar, completando a operação triangular. Para isso, a McLaren teria de pagar a rescisão do contrato de Montoya, que vai até o fim de 2004, e a Williams o de Mark Webber, com extensão até o término do campeonato de 2005. Não há indícios de que a informação proceda. Segurança - A invasão de pista pelo padre irlandês em Silverstone reacendeu a questão da segurança nos autódromos onde corre a Fórmula 1. Friedhelm Schleckmann, chefe da segurança de Hockenheim, comentou hoje que depois do protesto do ex-funcionário da Mercedes, em 2000, que também invadiu a prova, uma unidade especial de intervenção foi criada para agir de imediato nesses casos.

Agencia Estado,

30 de julho de 2003 | 17h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.