Schumacher e Ferrari, as decepções

Michael Schumacher encerrou com "chave de ouro" a participação no seu mais fraco Mundial desde que passou a competir pela Ferrari, em 1996. Já na volta de alinhamento para o grid mudou rapidamente sua trajetória na pista, pegando Christian Albers, da Minardi, de surpresa. Sem ter para onde ir, o holandês bateu forte na Ferrari. O alemão recebeu uma advertência dos comissários, por condução perigosa, e os dois pilotos largaram dos boxes com seus carros reserva. A série impressionante de equívocos de Schumacher em Xangai não parou aí. Na 22.ª volta de um total de 56, o piloto da Ferrari rodou sozinho com o safety car na pista. A direção de prova neutralizou o GP da China para os comissários repararem uma tampa de bueiro solta na saída da última curva. "Meus pneus estavam frios e quando acelerei, atrás de Felipe Massa, parecia que meu carro estava sobre o gelo", explicou Schumacher. Foi seu pior campeonato com o time italiano, já que conquistou apenas uma vitória, e em condições bem particulares, em Indianápolis. Só a Ferrari a Jordan e a Minardi disputaram o GP dos Estados Unidos. Em 2004, Schumacher ganhou 13 das 18 etapas do calendário. "Tudo o que quero, agora, é ir para casa", disse o alemão, em seguida a abandonar o GP da China. "Estou contente que este Mundial tenha acabado, o mais difícil para mim desde de que estou aqui, há 10 anos. Nosso objetivo, agora, é trabalhar duro para sermos campeões em 2006." Schumacher deverá regressar aos treinos apenas em janeiro. "Preciso desse tempo para recarregar minhas baterias." A Ferrari, rompendo o acordo de cavaleiros entre as equipes de não testar até 15 de novembro, começa sua preparação para o próximo campeonato dentro de uma semana, no circuito de Vallelunga, na Itália. Felipe Massa deverá ser escalado para a maior parte dos ensaios a fim de ganhar o máximo de quilometragem antes da estréia pela escuderia de Maranello.Massa, neste domingo, elogiou o trabalho da Sauber. Depois de largar em 11.º conseguiu um bom 6.º lugar. Peter Sauber havia prometido a ele e seu companheiro, Jacques Villeneuve, 10.º, o próprio carro de Fórmula 1 se terminassem no pódio. Massa não conseguiu, mas seu resultado foi tão convincente que o suíço lhe deu o modelo usado neste domingo. "Nós não entramos no box para reabastecer quando o safety car entrou na pista pela segunda vez (29.ª volta) e a estratégia funcionou. No fim fiz uma parada rápida e regressei à prova em 6.º." Massa disse que não esperava um ritmo forte de seu carro no GP da China. "Por falta de dinheiro a Sauber não investiu mais no seu desenvolvimento desde a metade do ano." Na Ferrari, em 2006, não terá esses problemas.Rubens Barrichello, a quem Massa substituirá, agradeceu ao time italiano pelos seis anos de aprendizado e as amizades feitas. "A Ferrari me deu a chance de construir algo para o meu futuro", afirmou. Sobre a corrida, reclamou de que os pneus dianteiros acabaram, impossibilitando-o de continuar lutando pela boa 4.ª colocação em que estava na metade da prova, depois de largar em 8.º.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.