Schumacher é o ídolo de Felipe Massa

Enquanto para praticamente todos os jovens pilotos brasileiros Ayrton Senna continua sendo o ídolo máximo, para Felipe Massa seu ponto de referência no automobilismo é Michael Schumacher. "Eu era muito pequeno quando o Ayrton Senna e o Nelson Piquet corriam", explica Massa, de 20 anos. "Pela técnica e arrojo, o Schumacher é o meu ídolo." Massa, recém-contratado pela equipe Sauber, já está de volta à Suíça - embarcou nesta segunda-feira à noite -, depois de quatro dias no Brasil. Ele foi tirar o molde do banco para o novo carro, previsto para ser lançado dia 25 de janeiro. Quando Senna conquistou seu último Mundial, em 1991, Massa tinha apenas dez anos. Já quando Schumacher começou, de fato, a demonstrar todo o seu talento, em 1994, ano do primeiro dos quatro títulos, Massa, com 13 anos, possuía até algumas temporadas de experiência no kart. "Eu acompanhei a trajetória do Schumacher muito mais de perto", diz Massa, sem se preocupar com o que as pessoas irão pensar a respeito da sua declaração. "Eu falo o que penso", afirma. "O Michael será campeão de novo em 2002." Sua preocupação agora, no entanto, é com relação ao próprio futuro. "Sou o piloto com a menor experiência na Fórmula 1, fiz apenas dois treinos. A hora é de abaixar a viseira, trabalhar e aprender." Dia 8 de janeiro, primeiro dia em que as equipes poderão treinar, Massa já estará a postos no Circuito da Catalunha, em Barcelona, na Espanha."Teremos três séries seguidas de testes, até a chegada do C21, o modelo 2002." O C21 será lançado dia 25 de janeiro em Hinwil, próximo a Zurique, cidade onde está instalada a Sauber, mas já no dia 21 vai estar sendo testado. Os primeiros quilômetros com o C21 ficarão com o alemão Nick Heidfeld, o outro piloto da Sauber, que tem dois campeonatos de experiência. "Uma semana depois o segundo carro vai estar pronto e eu e o Nick teremos dois modelos novos e dois C20 para testes comparativos, sempre em Barcelona." O extenso programa de treinos decorre do objetivo da Sauber, nada fácil de ser cumprido: voltar a classificar-se na quarta colocação entre os construtores, como este ano. "Com certeza Renault e Jordan vão crescer bastante no ano que vem e até a BAR e a Jaguar podem vir a ser nossas adversárias." Massa comentou esperar que a exemplo da evolução desses times, a Sauber possa também crescer em 2002. "Será um ano bem mais difícil que este para a Sauber", prevê. Uma das formas de enfrentar o desafio é preparar-se bem fisicamente.Massa vem de pouco mais de uma semana de trabalho físico intenso, nos Alpes austríacos, junto de Nick Heidfeld. Sobre as pressões a que estará submetido, em especial dos brasileiros, que há muito esperam ver um novo futuro campeão, Massa disse que a pressão maior é a que ele exerce sobre si próprio. E quanto às cobranças da Sauber, o campeão europeu de Fórmula 3000 foi claro, recordando mais uma vez o seu ídolo. "Certas horas você tem de ser alemão e não brasileiro, ser frio mesmo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.