Schumacher está com "frio no estômago"

O hexacampeão do mundo, Michael Schumacher, da Ferrari, já está na Austrália desde segunda-feira, "aclimatando-se ao calor intenso que faz no país e à diferença de fuso horário", 10 horas em relação a maior parte da Europa. Hoje, através da assessoria da equipe, afirmou estar sentindo, nesses momentos que antecedem a abertura do Mundial, "um frio no estômago." Mas sua ansiedade está prestes a acabar: o campeonato começa já amanhã, às 21 horas, horário de Brasília, 11 horas de sexta-feira em Melbourne, com os primeiros treinos livres do GP da Austrália. "Este é o meu 14º ano na Fórmula 1 e é grande a minha expectativa com relação ao que irá ocorrer na pista. Finalmente as especulações irão acabar e veremos quem, de fato, trabalhou melhor na pré-temporada", disse Schumacher. A McLaren começou como a favorita ao título, em dezembro ainda, depois o novo e revolucionário FW26 da Williams assumiu essa condição para repassar ao Renault R24 o troféu de melhor dos testes. "Nós demos realmente duro e tenho certeza de dispor de um carro que me permitirá lutar pela vitória", falou Schumacher. Para ele, a Austrália é o melhor cenário para o início do campeonato. "Este é um país maravilhoso, sua gente, sempre descontraída, relaxada." Mas enquanto, hoje, Schumacher elogiava a nação que está dentre as que melhor recebe a Fórmula 1, o colombiano Juan Pablo Montoya, da Williams, demonstrou, mais uma vez, sua falta se sensibilidade: durante entrevista de patrocinador do seu time, o grupo de seguros Allianz, abandonou a cerimônia, mesmo com a presença do presidente da empresa, depois de uma brincadeira de um grupo de TV responsável por um programa humorístico chamado "110%", veiculado pelo canal 7. Fizeram-lhe uma pergunta com um trocadilho envolvendo a palavra "one", de "Formula One", e em seguida simularam receber uma ligação no celular, durante a coletiva, em que o artista lhe questionava se aceitaria jogar golfe com sua avó. Montoya ouviu, levantou, disse obrigado e deixou o local, com todos tentando demovê-lo da idéia. Não o convenceram. "Quiseram me fazer de ridículo diante da imprensa", alegou depois, à tarde, já nos boxes da Williams. A temperatura chegou a 32 graus no improvisado mas cada vez melhor circuito Albert Park. E a previsão é de calor forte para os próximos dias, embora a TV tenha anunciado possibilidades de chuva para sábado e domingo, sem precisar a hora. Os trabalhos de montagem dos carros está um pouco atrasado em relação às quartas-feiras de outros anos. Hoje a atividade dentro dos boxes era intensa e quem desejava ver os modelos 2004 prontos, quase como irão para a pista amanhã ainda, por conta da diferença de 14 horas entre o horário de Brasília e Melbourne, se frustrou. Havia muito a ser feito ainda. Alguns vôos chegaram bem atrasados, como o que transportou os equipamentos da Ferrari. Mas logo mais tudo estará pronto e a 55.ª temporada da história da Fórmula 1, uma das mais aguardadas de todos os tempos, irá começar. Williams-BMW FW26, Renault R24, Ferrari F2004, McLaren-Mercedes MP4/19 e BAR-Honda 006, principalmente, responderão a quem vieram no Mundial. A disputa promete ser emocionante, já nesta quinta, embora hoje se comentava que, por conta do novo regulamento, um único motor por piloto por fim de semana, algumas equipes poderiam treinar pouco, às sextas-feiras, economizando o motor para sábado e domingo.

Agencia Estado,

03 de março de 2004 | 14h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.