Schumacher está numa encruzilhada

Michael Schumacher procura manter a tranqüilidade, mas o fato é que está em uma encruzilhada: ou vence domingo o GP de San Marino, em Ímola, ou verá a Ferrari entrar em crise. A equipe vai correr em casa, diante de milhares de ?tifosi?? e, se o alemão falhar, terá de torcer para Rubens Barrichello salvar a pátria. Do contrário a pressão sobre a Ferrari e seus pilotos, principalmente sobre Schumacher, aumentará bastante.O pentacampeão demonstra otimismo em relação à corrida que deve marcar a despedida do F2002. ?Creio que lutaremos de maneira decisiva pela vitória. Nosso objetivo é voltar a vencer e dar aos torcedores uma razão para comemorar??, disse Schumacher, que só marcou oito pontos até agora no Mundial. O finlandês Kimi Raikkonen, da McLaren, o líder da classificação, tem 24.Recentemente, Schumacher fez novas críticas a Jacques Villeneuve, da BAR ? disse que o canadense fala demais e que ?faria melhor se pilotasse em vez de falar??. Nesta quarta-feira, Villeneuve respondeu. ?Michael sempre cometeu erros, mas até agora conseguia compensá-los de alguma maneira. Este ano, não está conseguindo??, disse, em entrevista ao jornal ?La Gazzetta dello Sport?. No entanto, foi complacente com o rival. ?Michael só cometeu erros em uma corrida (em 2003)??, considera. O canadense não disse a qual GP se referia.A BAR pode ter novo sócio. Isso porque a direção da British American Tobacco (BAT) estuda vender suas ações da equipe, já que, com o fim da propaganda do cigarro, previsto para 2006, não será interessante para a empresa continuar no negócio. A BAT é a maior acionista do time.MOSLEY - Nesta quinta-feira, o presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), Max Mosley, dará entrevista para falar de sua reunião com os donos de equipe, em que seriam discutidas as novas regras da F-1. Mosley está satisfeito com o novo regulamento, mas não está descartada a possibilidade de anunciar mudanças, como no item referente aos pneus de chuva. A preocupação do dirigente, no momento, é com a intenção dos times em fazer um campeonato próprio a partir de 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.