Schumacher faminto pelo 4º título

Michael Schumacher afirmou nesta terça-feira que está com "fome" de correr na Hungria. A prova de Budapeste, domingo, pode definir a conquista do seu 4º título mundial e o 11º da Ferrari. "Já era hora mesmo de retomar nossa atividade", disse, depois de três semanas de folga no calendário da Fórmula 1.A direção da Ferrari não proíbe seu piloto de praticar dois esportes que a cada dia parecem atraí-lo mais: paraquedismo e motociclismo. Foi o que Michael fez nas suas férias de meio de temporada, para desespero dos diretores da Ferrari. Quando eles ouviram o que disse seu piloto a respeito da decisão do campeonato, devem ter ficado até preocupados: "Venho dizendo desde o começo do ano que meu objetivo era ser campeão pela Ferrari e consegui em 2000, o que vier agora é lucro."Sobre a condição bastante favorável para tornar-se campeão, revelou: "Para ser sincero, não andei pensando muito nisso." Na realidade, só mesmo uma fatalidade irá tirar do alemão o seu quarto Mundial. São grandes as chances de já domingo ele permitir que seja iniciada a festa que está sendo programada em Kerpen, cidade onde cresceu, próximo a Colônia, e em toda a Itália. "Essas férias familiares me fizeram muito bem física e mentalmente", contou. "Passei quase o tempo todo com Corinna e as crianças, na Suíça."Ao contrário do seu irmão, Ralf, e do diretor esportivo da BMW, Gerhard Berger, que prevêem um fim de semana difícil para a Williams-BMW na Hungria, Michael aposta que a Ferrari será muito competitiva. "Nosso carro deve ir muito bem lá. Não corremos bem em pistas de pouca pressão aerodinâmica, o que não é agora o caso." Jean Todt, diretor esportivo da equipe italiana, admitiu o favoritismo de sua organização para ser campeã, mas deu a entender que, a exemplo da estratégia adotada em Silverstone, Inglaterra, irá correr pelos campeonatos, de pilotos e de construtores. "Nossa meta é levar os dois pilotos ao pódio."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.