Schumacher fica mais perto do título

Com um adversário como David Coulthard, da McLaren, na luta pelo título, tudo está ficando mais fácil para Michael Schumacher, da Ferrari, comemorar a sua quarta conquista no Mundial. O finlandês Mika Hakkinen, da McLaren, venceu neste domingo o GP da Grã-Bretanha, em Silverstone, com uma vantagem surpreendente para Michael, 33 segundos, segundo colocado, enquanto Coulthard se autoeliminou da competição ainda na primeira curva depois da largada. Rubens Barrichello, companheiro de Michael, disputou outra boa prova e terminou em terceiro.Não dá para Michael definir o título já em Hockenheim, dia 29, diante da sua torcida, mas são boas as possibilidades de nas duas etapas seguinte da temporada, Hungria, dia 19 de agosto, e Bélgica, 02 de setembro, Michael acrescentar mais uma importante conquista às muitas que já tem. Neste domingo, Hakkinen e a McLaren aproveitaram-se muito bem da vantagem de treinar regularmente nos seletivos 5.141 metros do circuito inglês e impuseram uma diferença à Ferrari como há muito não se via. "Mika me ultrapassou e sumiu", disse Michael depois da prova."Nós éramos muito menos velozes que eles", afirmou.Já o finlandês campeão do mundo de 1998 e 1999 quase não se continha de alegria. Desde o GP da Bélgica do ano passado não vencia na Fórmula 1, há 14 etapas. "Será que desta vez eu vou ganhar mesmo?", disse, revelando o que se passava na sua cabeça na 60ª volta, a última."Comecei a me lembrar de quantas vezes fiquei parado no grid este ano, antes da largada (Brasil, Áustria e França), de Barcelona, em que perdi nos últimos 500 metros", contou o piloto da McLaren. Desta vez, contudo, nada o impediu de vencer pela primeira vez o GP da Grã-Bretanha, 19ª vitória na carreira. "Olhando para trás, estou ainda impressionado com tudo o que me aconteceu este ano." Hakkinen está fora da luta pelo título. Somou até agora apenas 19 pontos, diante de 84 de Michael e 47 de Coulthard. Mesmo que chegue em primeiro nas seis etapas que restam do campeonato atingiria 79 pontos, cinco a menos de Michael. "Mas acho que vou ganhar mais corridas até o fim do ano", previu. Sua vitória começou a ser desenhada na quinta volta da prova. Logo nas três primeiras voltas Hakkinen contou ter compreendido que Michael faria apenas um pit stop, diante dos seus dois planejados. "A diferença de velocidade entre nós era grande demais para poder ser explicada apenas pelo meu bom acerto do carro", explicou. "Em primeiro lugar fiquei muito surpreso com a escolha da Ferrari, mas para que eu vencesse teria de, urgentemente, ultrapassar Michael." A manobra ocorreu na saída da curva Copse, a primeira do traçado de Silverstone. O próprio alemão da Ferrari explica a manobra. "Errei na entrada da curva e a partir daí minha única preocupação não foi a de não perder a liderança, mas a de manter-me na pista." Por pouco, segundo Michael, sua corrida não acaba ali, na caixa de brita. "Não tenho muito o que falar, Mika era impressionantemente mais rápido que eu", disse. Não se pode afirmar que a estratégia de um pit stop, escolhida pela Ferrari para seus dois pilotos, tenha sido errada, como sugeriu Hakkinen, segundo Michael. Os italianos apostaram que não choveria e acertaram, mas quanto à estratégia, as dúvidas são muitas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.