Schumacher não quer adiar o título

São grandes as chances de Michael Schumacher conquistar seu sétimo título mundial domingo, no GP da Bélgica, 14ª etapa da temporada. Com 120 pontos diante de 82 de Rubens Barrichello, seu companheiro de Ferrari, tudo o que precisa fazer é abrir mais dois pontos de diferença. Em resposta às notícias de que não definiria o título no circuito de Spa-Francorchamps, preferindo estender a disputa para o GP da Itália, dia 12, Schumacher afirmou em seu site oficial: "A coisa mais importante é disputar uma boa corrida. O que tiver de acontecer irá acontecer." Schumacher disse ainda: "Sei que este será o assunto das conversas no fim de semana, mas não vou para a prova de maneira distinta das demais." O melhor dessa história é poder ser campeão sem a ameaça de adversários de outras equipes, comentou: "É ótimo estar em condições de ganhar o Mundial nessa fase da competição. Isso é o fruto de uma inesperada e fantástica temporada." O GP da Bélgica está de volta ao calendário depois de ser retirado ano passado. E se a velocidade dos carros está assustando, conforme o próprio presidente da FIA, Max Mosley, vem afirmando, a corrida no desafiador circuito de Spa-Francorchamps é, sem dúvida, motivo de preocupação. Trata-se de um traçado à moda antiga, com várias curvas de elevadíssima velocidade, como a Eau Rouge e a Blanchmont, contornadas próximas dos 300 km/h."Spa sempre foi especial para mim", diz Schumacher, que estreou lá na F-1, em 1991, apresentado por seu empresário, Willi Weber, a Eddie Jordan, da Jordan, como um especialista nos 6.963 metros da pista. "Na realidade, tudo o que sabia de Spa decorria de duas voltas que completei, mas de bicicleta", contou Schumacher, anos mais tarde. O alemão já venceu seis vezes o GP da Bélgica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.