Schumacher rebate acusações de Alonso

O piloto alemão Michael Schumacher, heptacampeão do mundo e vencedor das quatro últimas edições do Grande Prêmio da Espanha, respondeu nesta quinta-feira as acusações do espanhol Fernando Alonso, da Renault, que chamou a Ferrari de "trapaceira". Alonso disse ontem que, entre o Grande Prêmio do Barein e a etapa em San Marino, "todas as equipes treinaram seis dias, enquanto a Ferrari trabalhou 20". "Com relação aos testes, há muitos pontos de vista. Isto é a Fórmula 1, e para ser competitivo é preciso testar, mas não podemos levar em consideração os dias de provas, mas os quilômetros rodados", comentou Michael Schumacher. O alemão disse ainda que a Bridgestone só fornece pneus a três equipes e que apenas duas delas testam, enquanto as sete equipes que usam os Michelin andaram muito mais para desenvolver as rodas. Para Michael Schumacher, que subiu pela primeira vez ao pódio esta temporada no Grande Prêmio de San Marino, "o que é preciso fazer é limitar o número de quilômetros por fabricante de pneus". Com relação ao duelo que manteve com Alonso pela vitória no GP de San Marino, afirmou que "em Ímola é muito difícil adiantar e aquele que ia na minha frente o fez muito bem". Ao falar sobre a punção de duas corridas à escuderia BAR-Honda, ele simplesmente disse que "não gostaria estar na pele dos dois pilotos". Falando de suas chances no GP da Espanha, Schmacher afirmou que "podemos ser competitivos aqui e nas próximas corridas", mas disse que vê a Mclaren como equipe a ser batida.CAMPANHA - Os dois pilotos da Ferrari, Michael Schumacher e Rubens Barrichello abriram um espaço na agenda nesta quinta-feira e participaram em Barcelona de uma campanha pela segurança nas estradas ?Pense antes de dirigir? promovida pela Fundação da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e a Corporação Bridgestone.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.