Ricardo Moraes/REUTERS
Ricardo Moraes/REUTERS

Schumacher revela alegria por adeus com título de Vettel

O piloto da Mercedes admitiu ter dado certa moleza para o compatriota na briga pelo sexto lugar

TERCIO DAVID, Agência Estado

25 de novembro de 2012 | 20h01

SÃO PAULO - Um total de 358 GPs disputados, em 19 temporadas na Fórmula 1, com 91 vitórias e o recorde de sete títulos conquistados. Dono de um currículo fantástico, Michael Schumacher se despediu mais uma vez da categoria, agora de maneira definitiva. O adeus aconteceu neste domingo, no circuito de Interlagos, quando ele conseguiu o sétimo lugar no GP do Brasil. Aos 43 anos, o alemão se mostrou orgulhoso por encerrar a carreira na mesma corrida em que o compatriota Sebastian Vettel se tornou tricampeão.

"Achei muito legal minha história na Fórmula 1 terminar desta forma. De certo modo, a conquista de Vettel lembra a temporada de 2003, quando eu também estive bastante atrás no campeonato e consegui vencer no final. Estou orgulhoso. Somos bons amigos", disse Schumacher, que serve como grande ídolo e inspiração para o jovem piloto da Red Bull - o mais novo tricampeão mundial tem apenas 25 anos.

Sobre a sua última prova, Schumacher admitiu que deu uma certa moleza para Vettel na luta pela sexta colocação. "Numa situação como esta, de disputa de título, não havia por que brigar com ele", justificou o heptacampeão, que, no entanto, travou uma bela batalha por posição com o finlandês Kimi Raikkonen, da Lotus. "Toda esta gente veio ao autódromo para ver um show. Tentei fazer o meu melhor."

Nessa volta à Fórmula 1, após três anos longe das pistas, Schumacher disputou três temporadas pela Mercedes. Mas não conseguiu nenhuma vitória ou pole position, sendo constantemente superado pelo companheiro de equipe, o também alemão Nico Rosberg. Seu único pódio veio agora em 2012, com o terceiro lugar no GP da Europa, em Valência, na Espanha. Por isso, teve um retorno frustrante.

Apesar dessa segunda fase abaixo das expectativas, Schumacher deixa definitivamente a Fórmula 1 como o maior campeão da história. No adeus, neste domingo, em Interlagos, ele tratou de agradecer a Mercedes e os fãs. "Dividimos vários momentos difíceis nestes três anos. A equipe sempre esteve do meu lado me apoiando, assim como meus fãs. Eles foram muito importantes", afirmou o agora ex-piloto.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1GP do BrasilSchumacher

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.