Schumacher: "vitória crucial" em Monza

"Hoje é o dia mais bonito da minha carreira." Essa foi a histórica afirmação de Michael Schumacher, neste domingo em Monza, depois de vencer o GP da Itália. E olha que ele já foi campeão do mundo cinco vezes, ganhou 69 GPs, com o de ontem, e é o primeiro em quase todas as estatísticas da Fórmula 1, para que se tenha uma idéia da importância dedicada à vitória. Emocionado como em raras ocasiões, agradeceu da "senhora que faz a limpeza na fábrica" aos engenheiros. "Conquistamos uma resultado crucial para continuarmos lutando por mais um título." Apesar de Schumacher ter voltado ao primeiro lugar do pódio, o que não ocorria desde o GP do Canadá, há seis provas, o campeonato está, na prática, longe de definido. Juan Pablo Montoya, da Williams, terminou em segundo, e Kimi Raikkonen, McLaren, em quarto. Só os três têm chances, agora, de serem campeões. "A disputa está bem aberta, nós voltamos a ser competitivos", falou o alemão. Neste domingo ele ampliou de 1 para 3 pontos sua vantagem na classificação para Montoya, 82 a 79, enquanto Raikkonen atingiu 75 pontos. A próxima etapa será o GP dos Unidos, dia 28, e apesar de Schumacher ter mesmo razão ao dizer que tudo pode acontecer, a matemática mostra que, dependendo do resultado em Indianápolis, ele poderá ser campeão lá mesmo. Depois restará apenas o GP do Japão, 12 de outubro, em Suzuka.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.