Schummy é destaque em todo o mundo

Jornais quase que do mundo todo deram destaque nas suas edições de hoje ao quinto título mudial conquistado domingo por Michael Schumacher, da Ferrari, no GP da França. Os italianos, como não poderiam deixar de ser, ofereceram grande espaço editorial ao feito do piloto da Ferrari. A Gazzetta dello Sport, por exemplo, diário esportivo com tiragem de 700 mil exemplares, criou uma composição fotográfica com Juan Manuel Fangio, em 1957, ano em que obteve pela Maserati seu quinto título mundial, e com Michael Schumacher e a Ferrari F2002 domingo em Magny-Cours. Diz a reportagem: "Não estamos falando apenas de um piloto que ganhou cinco campeonatos, mas de um dos maiores de todos os tempos." O La Reppublica criou um suplemento especial sobre a vida de Schumacher. "O mundo se põe a seus pés" é o título. Numa entrevista ao jornal, Niki Lauda, campeão pela Ferrari em 1975 e 1977, define o alemão como "muito superior a Fangio." O Corriere dello Sport traz em editorial um texto enaltecendo as qualidades de Schumacher como "uomo-squadra" (homem de equipe). "Schumacher aceitou descascar o pepino rosso, tirou a Ferrari das cinzas, quando estava em situação dramática, e em quatro anos a levou à vitória." Outra notícia divulgada pela imprensa italiana é a chegada, em breve, aos cinemas, de um filme sobre a vida de Enzo Anselmo Ferrari, chamado "Commendatore", estrelado pelo ator Sergio Castellito. O filme começa com Schumacher treinando em Fiorano. O personagem Enzo surge e, quando perguntado o que pensa do alemão, Il Commendatore responde: "É um grande piloto, claro, mas ele acelera um carro fantástico também." Curiosa foi a reação dos jornais argentinos: "Pentacampeão duplo" traz o Clarin, enquanto o La Prensa dá em manchete: "A altura de Fangio?" O Diario Popular publica um título opinativo: "O rei Fangio tem agora um príncipe." O sobrinho do argentino, Juan Manuel Fangio II, afirmou em um texto para o Ole: "Meu tio ficaria feliz com esse resultado." Bastante fria foi também a reação dos ingleses ao extraordinário resultado de Schumacher. O Aberto de Golfe da Escócia gerou maior interesse. "Ao lado de Fangio" é o título do The Guardian, enquanto o The Times publica uma foto do piloto em lágrimas: "A máquina de correr também chora." A França foi generosa com o piloto da Ferrari. "Schumacher entra no templo do esporte" destaca o l´Equipe. O Le Figaro elaborou um especial de 8 páginas sobre a carreira do alemão. Já o Liberatión reagiu com criatividade: Schumacher na Fórmula 5." Na Alemanha, o ídolo Schumacher mudou a rotina dos jornais, pouco propensos quase sempre às manchetes esportivas. "Quinto título. O campeão mais rápido de todos os tempos" traz o Bild. "Lágrimas no cockpit" tem o Frankfurter Allgemeine Zeitung e "Obrigado é uma palavra pequena", o Sueddentsche Zeitung. A rede de TV alemã RTL, que detém os direitos da Fórmula 1 no país, prometeu distribuir 150 mil camisetas com fotos do piloto e bandeiras da Alemanha aos torcedores, domingo, em Hockenheim, para comemorar a conquista. O GP da França foi visto por 55,4% dos aparelhos ligados domingo, ou seja, teve 11 milhões de telespectadores. Repouso - Hoje de manhã Schumacher e a esposa Corinna voaram com o avião da família de Nevers, França, para Genebra.O casal vive com os dois filhos em Vuffles-le-Chateau, próximo à cidade. Ele passou o dia em casa, com as crianças, preparando-se emocionalmente para o que o aguarda já na quinta-feira, em Hockenheim, primeiro dia de atividade no autódromo do GP da Alemanha, 12.ª etapa da temporada. O empresário de Schumacher, Willi Weber, afirmou para o jornal Bild que seu piloto pode estender o compromisso com a Ferrari até o fim de 2006. Hoje é até 2004. "Não vejo motivo, neste momento, para Michael se aposentar em dois anos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.