Schummy não liga para tabu na Áustria

Como sempre, as estatísticas interessam pouco a Michael Schumacher. O GP da Áustria, sexta etapa do Mundial de F1, domingo em Spielberg, é o único dos 17 do atual calendário que o piloto da Ferrari ainda não venceu. "As pessoas sempre se referem aos meus resultados não bons na Áustria, mas os números não me dizem muito", disse o alemão. "Espero mudar essa história de não ganhar em Spielberg no fim de semana. O F2002 é um carro fantástico. Tenho as melhores chances possíveis." Schumacher venceu quatro das cinco corridas disputadas este ano. Na outra, o GP da Malásia, por envolver-se em um acidente na largada, ele terminou em terceiro. O piloto da Ferrari está, portanto, invicto na temporada: em todas as etapas foi ao pódio e quase sempre como vencedor. No seu site pessoal, ele escreveu que, apesar da confiança em quebrar o tabu na Áustria, ?há um ditado no futebol que diz que a próxima partida será sempre a mais difícil e isso é também verdade na Fórmula 1."Apesar de todas as evidências de que o modelo F2002 da Ferrari é o melhor carro da atualidade, pois ganhou em pistas de média velocidade, a exemplo de Ímola, e até nos traçados onde há várias curvas velozes, caso do Circuito da Catalunha, em Barcelona, Schumacher acredita que poderá haver luta com a Williams pela vitória na Áustria. "Não acho que será fácil. Nossa equipe está até mais atenta que as demais nessa questão de luta pelo título."Schumacher se referia ao fato de Patrick Head, da Williams, ter declarado que seu time se preocupará agora com cada GP em separado e não com a conquista do campeonato, porque a Ferrari deverá ser a campeã. A dupla da Williams, Ralf Schumacher e Juan Pablo Montoya, também vê com otimismo o GP da Áustria. "Não deveremos ser tão pouco competitivos como na Espanha", previu Montoya. "Nosso carro se encaixa bem nas características do traçado de Spielberg, conforme vimos no ano passado (apesar de não terem concluído as 71 voltas da prova, os dois eram os mais velozes na pista).?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.