Schummy quase parou após morte de Senna

O hexacampeão mundial de F-1, Michael Schumacher, revelou nesta terça-feira que chegou em pensar em abandonar a carreira após a morte de Ayrton Senna, ocorrida no dia 1º de maio de 94 durante o Grande Prêmio de San Marino, no circuito de Ímola, na Itália. ?Foi a primeira vez que me vi confrontado com a morte em meu esporte, e por um tempo, achei que não queria mais continuar?, disse Schumacher em sua página na internet (www.Michael-schumacher.De), num espaço em que faz uma homenagem ao 10º aniversário da morte do piloto brasileiro. "Ayrton foi uma inspiração não apenas para mim. Foi um símbolo para a Fórmula 1 e fez muito pelo esporte", acrescentou o alemão.?Aquele foi um final de semana horrível e um grande golpe para todos nós porque no dia anterior (o austríaco) Roland Ratzengberger já havia sofrido um acidente fatal? destacou Schumacher. O piloto alemão lembra que a partir das duas mortes, teve início uma ampla discussão sobre a segurança na F-1. "A segurança melhorou muito depois do episódio e tenho certeza que este foi o único aspecto positivo da tragédia?, finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.