Tim Chong/Reuters - 24/9/2009
Tim Chong/Reuters - 24/9/2009

Se agradar em Jerez, Nick Heidfeld será substituto de Robert Kubica

Chefe da escuderia, Eric Boullier, afirma que ele será avaliado neste fim de semana

AE, Agência Estado

10 de fevereiro de 2011 | 16h41

JEREZ DE LA FRONTERA - Quatro dias depois de Robert Kubica sofrer grave acidente na Itália, ser hospitalizado, e colocar em risco a sua participação na temporada 2011 da Fórmula 1, começa-se a desenhar, dentro da Lotus Renault, o cenário para a escolha do substituto do polonês no cockpit. De acordo com o chefe de equipe da escuderia, Eric Boullier, o alemão Nick Heidfeld testará o carro no final de semana e, se for aprovado, será mantido. Ele praticamente descartou a hipótese de o reserva Bruno Senna assumir a titularidade.

"Nick está aqui para ser avaliado. Assim que tivermos terminado nossa avaliação dele, se estivermos felizes com o trabalho dele, então nós o mantemos", explicou o dirigente, em entrevista ao site da revista Autosport.

Heidfeld treina com a Lotus Renault no sábado ou no domingo, nos testes coletivos que a Fórmula 1 realiza em Jerez de la Fronteira, na Espanha, desde esta quinta. Bruno Senna também entrará na pista, mas não deverá ser promovido a titular da equipe.

"Se isso (o acidente de Kubica) tivesse acontecido no meio da temporada, então o carro já teria sido desenvolvido, e você poderia dar a um jovem piloto alguns quilômetros para educá-lo na Fórmula 1. Nós temos que desenvolver o carro a partir do zero, então a escolha óbvia é por um piloto experiente", alegou Boullier.

Senna é considerado ainda inexperiente na Fórmula 1. Correu apenas a temporada passada, completando somente nove corridas. Seu melhor resultado foi um 14.º lugar na Coreia do Sul.

Se Heidfeld não agradar, a Lotus Renault deve testar outros pilotos nos próximos treinos coletivos, de 18 a 21 de fevereiro, em Barcelona. Vitantonio Liuzzi e Pedro de la Rosa são os principais candidatos nesta hipótese. Boullier descartou categoricamente dois nomes especulados pela imprensa internacional. O ex-campeão Kimi Raikkonen, para o dirigente, não pode romper os acordo que tem no rali, enquanto o alemão Nico Hulkenberg tem pouca experiência.

Veja também:

linkKubica deixa a UTI pela primeira vez após acidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.