Diego Azubel / EFE
Diego Azubel / EFE

Sebastian Vettel, da Ferrari, vê Red Bull perigosa no GP do Canadá neste domingo

Circuito Gilles-Villeneuve exige mais potência do motor do que em Mônaco, o que poderia gerar desvantagem à antiga equipe italiana

Estadão Conteúdo

07 Junho 2018 | 19h22

Depois de dominarem as apertadas e sinuosas ruas de Mônaco na última corrida, a Red Bull está pronta para vencer novamente, desta vez no Canadá, neste domingo, na sétima etapa da temporada de Fórmula 1. A análise não é de nenhum piloto ou integrante da escuderia. Pelo contrário. A avaliação é do alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, vice-líder do Mundial de Pilotos.

+ Confira a classificação do Mundial de Fórmula 1

"Claro que podem ser", respondeu o alemão quando perguntado se a Red Bull era um perigo em Montreal. "Eu acho que, antes de tudo, eles usaram pneus melhores do que as outras equipes em Mônaco e, obviamente, isso poderia ajudá-los aqui".

Em Montecarlo, no final de maio, pela sexta etapa, o australiano Daniel Riccardo venceu de ponta a ponta. Agora, o circuito Gilles-Villeneuve exige mais potência do motor do que em Mônaco, o que poderia gerar desvantagem à antiga equipe de Sebastian Vettel. Mas o alemão pensa o contrário e espera a Red Bull muito competitiva outra vez, especialmente se o motor Renault atualizado for entregue.

"Essa corrida é diferente de novo e um layout diferente, mas eu não sei o que eles estão tendo ou não - e o que eles trouxeram para atualizações e assim por diante. Acho que precisamos esperar para ver, mas esperamos que a Ferrari esteja na frente", avaliou o piloto alemão.

A Mercedes venceu os últimos três GPs no Canadá, enquanto que a última vitória da Ferrari foi em 2004. Sebastian Vettel, por sua vez, venceu em Montreal uma vez - ironicamente com a Red Bull em 2013 - e está de olho em um segundo triunfo para impulsionar a sua missão de conquistar o quinto campeonato mundial de Fórmula 1.

"Por alguma razão, eu tive corridas interessantes aqui. É um bom lugar, muita agitação em torno deste lugar, na cidade. Muitas pessoas que vêm para a pista estão animadas. Espero que tenhamos uma boa corrida. É normal que de vez em quando você tenha uma corrida chata. Mônaco não é a melhor corrida para ultrapassar, mas deve ser diferente aqui, então vamos ver", discorreu Sebastian Vettel.

O tetracampeão falou também sobre o desempenho do carro da Ferrari nas retas. "Nós temos um carro muito eficiente este ano. Isso deve nos ajudar nesse tipo de pista. Os pneus serão fundamentais".

Atualmente, Sebastian Vettel está 14 pontos atrás do líder Lewis Hamilton, da Mercedes, no Mundial de Pilotos (96 a 110). E procura acabar com uma seca de quatro corridas sem vitória.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.