Sebastien Bourdais na contramão dos novatos da F-1

Aos 29 anos, piloto da Toro Rosso disputará neste domingo sua primeira corrida na categoria

Livio Oricchio, O Estado de S. Paulo

14 de março de 2008 | 13h30

Nelsinho Piquet está estreando na Fórmula 1 com 22 anos, Lewis Hamilton, fez 23, e Nico Rosberg é contemporâneo de Nelsinho. Em outras palavras, chega-se, hoje, muito cedo à Fórmula 1. Há um francês, no entanto, que está quebrando a regra. Sebastien Bourdais disputará na próxima madrugada, 1h30 pelo horário de Brasília, seu primeiro GP, aos 29 anos. Mas também, tendo nascido em Le Mans, só poderia mesmo ter vida longa no automobilismo. Veja também:Pilotos e equipes da temporada 2008 da F-1Calendário e os circuitos da atual temporada da F-1 Blog do Livio: mais informações sobre a Fórmula 1 Reginaldo Leme e Livio Oricchio projetam 2008 Bourdais desembarca com currículo respeitável, tetracampeão da Champ Car, com a equipe Newman-Haas, apesar de na Fórmula 1 ninguém valorizar a competição norte-americana. Mais: em 2002, foi campeão da Fórmula 3000 e só viajou para os Estados Unidos por não ser chamado por ninguém da Fórmula 1. Sempre muito educado, solícito, conversou à vontade com a imprensa em Melbourne. "Apenas alguns dias depois de eu dizer a mim mesmo que o sonho da Fórmula 1 havia acabado, em seguida ao meu terceiro título da Champ Car, em 2006, recebi um telefonema de Gerhard Berger, convidando-me para um teste com a Toro Rosso", contou. "Ele não me garantia nada, ficou claro, seria apenas uma avaliação." Os resultados foram tão bons que hoje Bourdais estréia na Fórmula 1 pela Toro Rosso. "É a realização de um sonho, sem dúvida." Destaca como é estranha a trajetória da sua profissão, ao recordar que na Champ Car raramente esteve distante das vitórias enquanto na Fórmula 1, se marcar um ponto, será motivo de celebração.  "Minha maior dificuldade nessa adaptação à Fórmula 1 tem sido tirar todo desempenho que o pneu permite numa volta lançada na classificação", explica. "Apesar de ter treinado bastante, sua aderência reduzida em relação aos lisos [slick] da Champ Car faz com que eu tenha de evoluir. Já em corrida não tenho dificuldades." Nos testes manteve-se sempre próximo do reconhecidamente veloz Sebastian Vettel, seu companheiro. Berger, crítico da dupla que possuía, Scott Speed e Vitantonio Liuzzi, elogiou Bourdais: "Tem grande potencial para ser desenvolvido e é bastante inteligente". Está nas mãos de Bourdais a manutenção de um representante da França na Fórmula 1, ausente desde a aposentadoria de Olivier Panis, em 2004.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.