Segredo da velocidade de Barrichello

De repente, Rubens Barrichello passou a andar tão rápido quanto Michael Schumacher e, no caso do GP da Áustria, mostrou-se até mais veloz. O que teria acontecido com Barrichello, este ano, e que justificaria o fato de estar bem mais eficiente que nas suas duas primeiras temporadas na Ferrari, em 2000 e 2001? No fundo, foi a maior velocidade de Barrichello na prova de Spielberg, domingo, que causou o estrago todo na imagem de Michael Schumacher e da escuderia italiana. "O meu estilo de pilotar se adaptou bem às características do modelo F2002. O carro sai menos de frente e, ao contrário do que as pessoas pensam, não gosto de um carro sobesterçante", disse Barrichello logo depois da sessão de classificação do GP da Espanha, em que perdeu a pole position para o companheiro de Ferrari nos segundos finais. O mesmo já havia ocorrido na etapa anterior, em Ímola, na Itália. Na corrida de Spielberg, Barrichello pôde finalmente comprovar seu excelente momento: foi o mais veloz na sexta-feira, no sábado, no treino realizado domingo de manhã e depois liderou praticamente as 71 voltas da prova. "O F2002 é um carro mais difícil de ser acertado que o do ano passado, mas quando bem ajustado é mais rápido e fácil de ser pilotado", explicou o piloto na Áustria, ao falar da conquista da pole position. Quem percorreu com atenção os boxes do autódromo A1-Ring, domingo, antes da largada, pôde observar que o carro de Barrichello tinha a porção final de uma pequena barra metálica aparecendo por fora da carenagem, do lado direito, sobre a suspensão traseira. Trata-se da barra de torsão. Barrichello e seu novo engenheiro Gabriele delli Colli, que estreou este ano, em substituição a Carlo Cantoni, trabalham com resistências assimétricas nas suspensões. Na Áustria, a do lado direito era mais mole que a esquerda. Na prova de Ímola, Schumacher afirmou que a razão de ele ter superado Barrichello no fim da classificação foi ter copiado o acerto da Ferrari do brasileiro. Pode parecer estranho, mas o piloto alemão, por ser capaz de tirar velocidade até de um carro não muito bem ajustado, não é considerado um grande acertador de chassi. Já Barrichello, que possivelmente perde para Schumacher em quase todos os parâmetros de performance, ganha nesse quesito. Parece haver uma relação íntima entre a maior dificuldade para acertar o F2002 e a evolução de Barrichello. Outro fator que justifica a maior proximidade do brasileiro com o melhor piloto do mundo na atualidade é sua postura distinta com relação a tudo o que cerca a competição. "Estou mudado. Não me deixo mais atingir por fatores externos. Chega de ser o menino chorão", afirmou Barrichello ainda na abertura do Mundial, na Austrália, para surpresa de todos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.