Sem testes, Alexander Wurz vira conselheiro na Brawn

O austríaco Alexander Wurz, um dos pilotos de testes mais renomados da Fórmula 1, terá um novo emprego neste ano. Com as restrições no regulamento da categoria, ele passará a exercer um cargo de conselheiro da Brawn GP, discutindo com os pilotos e engenheiros sobre possíveis acertos e estratégias de corrida."Meu trabalho será muito mais nesse sentido de discutir e aconselhar", disse Wurz, de 35 anos. Com a proibição dos testes durante a temporada, ele só entrará em ação na pista caso Rubens Barrichello ou Jenson Button não possam participar de algum treino ou corrida."Vou trabalhar usando o meu ponto de vista de piloto, mas minha influência na pista foi minimizada pelo regulamento. A grande era dos pilotos de testes, que eu comecei, chegou ao fim", afirmou o austríaco.Wurz começou a carreira na Fórmula 1 em 1997, como piloto de testes da Benneton. Naquele mesmo ano, disputou três provas como substituto de Gerhard Berger, e conseguiu um pódio em Silverstone. Nas três temporadas seguintes, ele correu como titular, mas nunca se firmou.Em 2001, o austríaco passou a ser terceiro piloto da McLaren, e participou ativamente o desenvolvimento dos carros da equipe até 2005. No ano seguinte, tornou-se piloto de testes da Williams, escuderia que defendeu no Mundial de 2007 - foi 11º, com 13 pontos e um terceiro lugar no GP do Canadá.Dispensado pela equipe inglesa, Wurz tornou-se piloto de testes da Honda em 2008. Com a aquisição da escuderia por Ross Brawn, ele acabou mantido entre os funcionários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.