Semana de testes brasileiros na F1

Depois de Fernando Alonso conquistar o título mundial da Fórmula 1 no domingo, em Interlagos, as equipes foram para Jerez de la Frontera, na Espanha, onde fazem testes de quarta a sexta-feira, para as duas últimas etapas da temporada: Suzuka, no Japão, e Xangai, na China, em 9 e 16 de outubro. A novidade nos treinos são dois brasileiros que terão a primeira oportunidade de guiar um F-1: Lucas di Grassi, piloto da F-3 européia (que andará quinta e sexta-feira pela Renault), e Tony Kanaan, da IRL (que estará na BAR).Aos 21 anos, o paulistano Lucas di Grassi faz parte há um ano do programa de desenvolvimento de pilotos da Renault e está preparado para o novo desafio. Nesta quarta-feira, entrará no carro para ajustar banco e pedais. E na quinta e na sexta, serão os testes para valer.?Trabalhei muito para conseguir esse teste. Sempre sonhei com esse dia. Com a experiência que adquiri em outras categorias prefiro pensar que será só mais um carro que vou pilotar. Vou fazer meu trabalho e passar o máximo de informação que puder?, disse Lucas di Grassi.O convite da diretoria para testar o carro da Renault surgiu há duas semanas. Ele recebeu apenas uma recomendação. ?Para tomar cuidado para não bater...?, contou o piloto brasileiro.Já Tony Kanaan, que testará para a BAR, afimou: ?É a realização de um sonho, desde a época que meu pai me levava para andar de kart.? Campeão da última temporada da IRL, o piloto brasileiro também está feliz por poder testar o carro que será de Rubens Barrichello em 2006. ?Espero deixar um pouco de sorte para ele?, brincou Tony Kanaan.O único contato que o piloto baiano de 30 anos teve com um carro de Fórmula 1 foi na semana passada, quando visitou a fábrica da BAR na Inglaterra e fez o molde do banco que usará na quinta-feira. ?Sentei naquele carro e não queria sair mais. Falei para o Gil de Ferran (o ex-piloto brasileiro, agora diretor da BAR): ?Pode avisar o Rubinho que fiquei entalado??, revelou Tony Kanaan. ?Vou lá para soltar o sapato e curtir cada volta completada.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.