Reprodução
Reprodução

Senna é homenageado em São Paulo com estátua gigante no Parque Ecológico do Tietê

Iniciativa é da Associação Eu Amo o Brasil (EAB), presidida pelo advogado José Marcelo Braga Nascimento

Redação, Estadao Conteudo

16 de dezembro de 2019 | 17h50

As homenagens a Ayrton Senna, tricampeão mundial de Fórmula 1, não param de acontecer. Mesmo depois de mais de 25 anos de sua morte em um acidente com sua Williams na curva Tamburello durante o GP de San Marino, no circuito de Imola, no dia 1.º de maio de 1994. Nesta quarta-feira será inaugurada no Parque Ecológico do Tietê, em São Paulo, uma estátua gigante do piloto brasileiro.

A iniciativa é da Associação Eu Amo o Brasil (EAB), presidida pelo advogado José Marcelo Braga Nascimento. A presidente do Instituto Ayrton Senna e irmã do piloto, Viviane Senna, e o governador João Doria (PSDB) confirmaram presença no evento, que será aberto ao público.

O projeto foi concebido pelo artista plástico Humberto de Oliveira, também responsável pela estátua em homenagem ao escritor Monteiro Lobato, na cidade de Taubaté (SP). A estátua de Senna pesa aproximadamente 350kg, tem 4 metros de altura e 1,2 metro de largura. Sua estrutura interna é de metal e o acabamento externo é de resina industrial, com as pernas finalizadas em gesso e estopa.

A obra ficará instalada dentro do Parque Ecológico do Tietê, às margens do km 18 da rodovia Ayrton Senna, que liga a capital paulista à região do Vale do Paraíba. O local da instalação permitirá o acesso dos pedestres que frequentam o parque e os motoristas na estrada terão uma visibilidade do monumento a partir de 250 metros de distância.

"Carrego a ideia do tributo há mais de dois anos porque o Senna sempre mostrou o seu amor à pátria brasileira para o mundo e foi uma referência para nós", explicou Nascimento. "Em 1986, o país passava por algumas turbulências e a seleção brasileira de futebol foi eliminada da Copa do Mundo. Na época, Ayrton Senna conquistou o GP de Detroit e, para levantar a autoestima da sociedade, carregou a bandeira do Brasil pelo circuito da prova, dividindo sua conquista com todo o povo. A ação virou uma marca do piloto a cada prova vencida e a estátua é uma reverência ao que ele representou durante a sua vida como atleta e cidadão", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.