Divulgação - 8/3/2010
Divulgação - 8/3/2010

Senna ou Liuzzi deve treinar com a Lotus Renault no lugar de Kubica

Dono da escuderia, Gerard Lopez, diz que procurará piloto capaz de ser campeão mundial na F1

AE, Agência Estado

09 de fevereiro de 2011 | 16h23

ROMA - Hospitalizado desde domingo, quando sofreu um grave acidente correndo de rali na Itália, o piloto Robert Kubica recebeu nesta quarta-feira uma visita ilustre: a do dono da Lotus Renault, sua escuderia, Gerard Lopez. Na saída do hospital, o dirigente falou sobre os possíveis substitutos do polonês no cockpit de sua equipe e citou Bruno Senna como uma opção viável apenas em caso de rápida recuperação do titular.

"Se a recuperação de Robert for longa e ele não puder retornar nesta temporada, vamos depender de um piloto experiente. O destino da nossa temporada obviamente vai depender do novo piloto: devemos ver o que acontece nos testes que faremos. Sem Robert, é difícil fazer previsões. Óbvio que procuraremos um corredor capaz de vencer o campeonato", explicou Lopez, em entrevista ao site IVG.it.

A Lotus Renault participa a partir de quinta-feira dos testes coletivos em Jerez de la Frontera. Até o fim do dia, Lopez deve ser reunir com seu diretor técnico e escolher, entre Senna e o italiano Vitoantonio Luizzi, quem treinará com o carro de Kubica. "Um dos dois observaremos nos testes de Jerez. Esta tarde faremos um encontro para decidir qual".

Depois, a equipe treina também em Barcelona e quer usar as voltas dadas na Espanha para projetar como o carro estará para a temporada. "É ainda cedo para definir estratégias. Será importante avaliar quanto o carro será competitivo e para isso serão cruciais os próximos testes. Neste contexto, devo dizer que a Renault está com Kubica e o esperaremos".

Os já esperados votos de plena recuperação para Kubica contrastaram com críticas indiretas à necessidade que o polonês tem de correr ralis. "Robert tem uma paixão que respeitamos. Se não pudesse prosseguir nesta paixão, seu coração seria comprometido, o seu amor e seu equilíbrio psicológico", declarou Lopez, que chamou a paixão de "perigosa".

Veja também:

linkKubica teve medo de ficar paralítico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.