Bryn Lennon/EFE
Bryn Lennon/EFE

Soberano, Hamilton vence GP de Eifel e iguala recorde de vitórias de Schumacher

Hexacampeão conta com erro de Bottas e fatura sua 91ª corrida na principal categoria do automobilismo

Ricardo Magatti, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

11 de outubro de 2020 | 10h52

Lewis Hamilton mais uma vez fez história. Neste domingo, o hexacampeão mundial contou com o erro de Valtteri Bottas, que depois acabou abandonando com um problema na unidade de potência de seu carro, venceu o GP de Eifel e conquistou a 91ª na Fórmula 1 para igualar o recorde de Michael Schumacher logo na terra do lendário piloto alemão, nascido a menos de 100 quilômetros de lá e onde ele venceu cinco vezes. O holandês Max Verstappen terminou em segundo e o australiano Daniel Ricciardo completou o pódio, o primeiro da Renault.

Hamilton aproveitou o erro de seu companheiro de Mercedes, Bottas, para assumir a ponta na 11ª volta. O britânico fez uma corrida segura, abriu vantagem considerável sobre os concorrentes e venceu com tranquilidade a prova no circuito de Nürburgring, que não recebia uma corrida desde 2013. O tradicional autódromo alemão ficou conhecido por testemunhar o grave acidente do austríaco tricampeão Niki Lauda em 1976.

Foi a sétima vitória na temporada de Hamilton, que ampliou sua soberania em 2020. Ele lidera o Mundial de Pilotos com sobras, somando 230 pontos, contra 161 de Bottas, que se manteve na vice-liderança apesar de não ter pontuado em Eifel, mas viu sua vantagem para Max Verstappen diminuir para 14 pontos.

Verstappen fez no final a volta mais rápida e levou um ponto a mais por isso. O holandês da Red Bull teve um bom desempenho, mas não foi capaz de sequer ameaçar Hamilton, que segue sendo protagonista e empilhando recordes. Ele conseguiu diminuir a vantagem para o líder apenas depois da entrada do safety car para a retirada do carro de Lando Norris, da McLaren, mas o piloto da Mercedes fez uma boa relargada e não perdeu o primeiro lugar. 

Já Ricciardo comemora o terceiro lugar, que significa o primeiro pódio da Renault desde o seu retorno à categoria, em 2016, e a primeira vez do piloto entre os três mais bem colocados desde o GP de Monaco de 2018.

O mexicano Sérgio Perez, da Racing Point, finalizou em quarto, à frente do espanhol Carlos Sainz Jr., da McLaren, e do francês Pierre Gasly, da AlphaTauri. A melhor Ferrari foi o monegasco Charlec Leclerc, que chegou em sétimo - Sebastian Vettel foi apenas o 11º.

Chamado às pressas pela Racing Point para substituir o canadense Lance Stroll, que não pôde correr por conta de um mal-estar, o alemão Nico Hulkenberg superou as expectativas e terminou em oitavo. O francês Romain Grosjean, da Haas, foi o nono, e o italiano Antonio Giovinazzi, da Alfa Romeo, completou o top 10.

Outro que alcançou um feito importante neste domingo foi o finlandês Kimi Raikkonen, da Alfa Romeo. Ele participou do 323º GP e superou o brasileiro Rubens Barrichello para se tornar recordista em número de corridas. Seu desempenho na pista não foi dos melhores, com o 12º posto.

Cerca de 20 mil espectadores estiveram nas arquibancadas e puderam testemunhar de perto mais um capítulo da vencedora carreira de Hamilton.

A Fórmula 1 dá uma pausa e retorna daqui a duas semanas, para o GP de Portugal, no circuito de Algarve. Será a 12ª de 17 etapas da temporada de 2020 da Fórmula 1.

Confira a classificação do GP de Eifel da Fórmula 1:

1°) Lewis Hamilton (ING/Mercedes), em 1h35min49s641

2º) Max Verstappen (HOL/Red Bull), a 4s470

3º) Daniel Ricciardo (AUS/Renault), a 14s613

4º) Sergio Perez (MEX/Racing Point), a 16s070

5º) Carlos Sainz Jr. (ESP/McLaren), a 21s905

6º) Pierre Gasly (FRA/AlphaTauri), 22s766

7º) Charles Leclerc (ALE/Ferrari), 62s186

8º) Nico Hulkenberg (ALE/Racing Point), a 32s596

9º) Romain Grosjean (FRA/Haas), a 39s081

10º) Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo), a 40s035

11°) Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), a 40s810

12º) Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo), a 41s476

13º) Kevin Magnussen (DIN/Haas), a 49s585

14º) Nicholas Latifi (CAN/Williams), a 54s449

15º) Daniil Kvyat (RUS/AlphaTauri), a 55s588  

Abandonaram a prova:

Valtteri Bottas (FIN/Mercedes) 

Alexander Albon (TAI/Red Bull)

Lando Norris (ING/McLaren)

Esteban Ocon (FRA/Renault)

George Russel (ING/Williams)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.