Sócio da Williams defende grid invertido na Fórmula 1

Para Patrick Head, o líder deveria largar na última posição e o lanterna do campeonato na pole

Agência Estado,

11 de março de 2008 | 09h54

O engenheiro Patrick Head, sócio da Williams, deu nesta terça-feira uma sugestão para apimentar as corridas da Fórmula 1. Para o inglês, o grid das provas deveria ser definido pela ordem inversa da classificação do campeonato, com o líder na última posição, e o último colocado na pole.Veja também: A expectativa para o GP da Austrália Blog do Livio: mais informações sobre a Fórmula 1 Reginaldo Leme e Livio Oricchio projetam 2008"Eu gostaria de ver um grid assim, invertido, de acordo com a posição do campeonato. No fim das contas, o melhor piloto ainda ganharia o título. Agora, se você deixa todo mundo testar, e aí o mais rápido larga na frente e o mais lento larga atrás, por que haveria ultrapassagens?", questionou Head, que - apesar da sugestão - acha difícil que a idéia seja aprovada."Sei que muita gente ia reclamar. Mas sempre cruzo com pessoas que dizem gostar mais das corridas de moto, porque há mais ultrapassagens", afirmou o dirigente.A GP2, categoria preliminar da Fórmula 1, usa o formato de grid invertido, mas em um modelo diferente do proposto por Head. Na segunda bateria das rodadas duplas, os oito melhores da primeira prova invertem suas posições. Assim, o oitavo larga na pole, o sétimo larga em segundo, e assim por diante, até o vencedor, que fecha a quarta fila.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Williams

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.