SPTuris demite engenheiro por erro na chicane da Curva do Café, em Interlagos

Chico Rosa, 71, volta a participar da administração; custo é de R$ 100 mil e SPUA vai arrumar local

Milton Pazzi Jr., O Estado de S. Paulo

20 de julho de 2011 | 16h22

SÃO PAULO - O erro de geometria na recuperação da chicane da Curva do Café custou a Artemis de Oliveira, engenheiro e coordenador técnico do Autódromo de Interlagos, a exoneração (demissão) do cargo. A medida foi tomada por Caio Luiz de Carvalho, presidente da SPTuris, após ver a foto da obra na edição do Estado desta quarta-feira. Chico Rosa, atualmente assessor técnico e personagem histórico do automobilismo brasileiro, é quem acumulará a função.

A obra custou cerca de R$ 100 mil, informa a SPTuris, através de Ata de Registro de Preço. A execução foi da Superintendência de Usina de Asfalto (SPUA), órgão da Prefeitura Municipal de São Paulo. A obra foi realizada entre os dias 11 e 13 de julho, ou seja, na semana da etapa paulistana do Campeonato Brasileiro de Marcas. "O que aconteceu simplesmente não pode acontecer. A SPUA vai assumir o custo e refazer o local. Haviam me informado do problema e minimizado", relata Carvalho.

O erro foi reflexo de dificuldades políticas que envolvem o autódromo e o automobilismo brasileiro. Para evitar a repetição, na hora de arrumar a chicane, a SPTuris diz que se reunirá com representantes da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), o presidente da Comissão Técnica Desportiva Nacional (CTDN), além da SPUA e convidará um piloto para definir o modelo correto para o redutor de velocidade. Em caso de divergência, Carvalho admite até que pode vetar a presença de categorias que tenham problemas com o local. "Queremos a melhor solução, mas tem o problema do tempo para executar", reforça o presidente da SPTuris.

A volta da atuação mais direta de Chico Rosa, 71 anos, é vista como benefício para o autódromo. Ele deve supervisionar o ajuste da chicane (que é uma sequência de curvas para redução de velocidade), com reunião entre os envolvidos prevista para ainda esta semana. O asfalto feito, que tem a mesma qualidade da pista de Interlagos, será mantido. O resto será refeito a tempo de receber a Stock Car, em 7 de agosto (daqui duas semanas). A Curva do Café continua como está pelo menos até depois do GP do Brasil 2011 de Fórmula 1, no fim de novembro - para a FIA e a F-1, o local não é problema - e depois deve ser construído uma área de escape.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.