Stock Car: paranaenses contra um tabu

Os pilotos do Paraná formam o segundo maior contingente da Stock Car. Dos 40 inscritos no campeonato, oito representam o Estado. Apenas São Paulo, com 19, tem mais competidores. O paranaenses, porém, convivem com um incômodo tabu, que pretendem quebrar domingo, na segunda etapa da temporada: jamais um piloto da casa venceu no Autódromo Internacional de Curitiba. Pelo menos correndo sozinho. Na década de 90, Angelo Giombelli, nascido em Cascavel, ganhou uma corrida em Curitiba. Naquela época, porém, os pilotos competiam em dupla e Giombelli triunfou junto com Ingo Hoffmann. Ingo, aliás, é o "papão?? da pista, com oito vitórias, uma a mais que Chico Serra. Os dois são paulistas. Mas afinal, qual o motivo de santo de casa não fazer milagres em Curitiba? Os pilotos apontam vários. De simples coincidência a falta de sorte, passando pelo equilíbrio da categoria.Raul Boesel, que durante algum tempo emprestou o nome ao autódromo - muitos ainda o conhecem como Autódromo Raul Boesel -, admite que o tabu mexe com ele, apesar de ter corrido poucas vezes na pista, inaugurada em 1989, quando ele competia no exterior. "Mexe no sentido de ser um sonho que gostaria de realizar. Seria muito bom para mim e para as pessoas que acompanham a minha carreira??, diz o piloto da estreante equipe Embratel Motorsport.Entretanto, a realização do sonho não deve acontecer desta vez. A equipe tem problemas e Raul vai correr em Curitiba com o carro da Action Power que levou Cacá Bueno ao vice-campeonato no ano passado.Rosinei Campos, o Meinha, emprestou os amortecedores ao piloto e Tarso Marques está colaborando no acerto do carro, pois o engenheiro da primeira corrida não agradou e foi trocado.Boesel não tem muita expectativa para domingo, mas Thiago Marques tem.Ele é da Action Power, equipe com sede em Curitiba, e que venceu a primeira corrida, em Interlagos, com Cacá Bueno. "Não sei o que acontece, mas nunca venci aqui. Sempre tenho um problema. Já pensei até em urucubaca, mas o negócio é tocar para frente.?? Ele entende, porém, que o fato de ser piloto da casa não representa, hoje em dia, grande vantagem, por causa do equilíbrio da categoria.Mesmo pensamento do paranaense David Muffato, campeão em 2003 da categoria e outro sem vitória em Curitiba. "Não tem essa coisa de piloto da casa. Todos têm grande bagagem. O equilíbrio é muito grande??, considera o piloto da Boettger Competições.Estreante na Stock Car V8, Diego Pachenki (campeão da Light no ano passado), atribui a falta de vitórias dos paranaenses em Curitiba a uma coincidência. "A categoria está equilibrada só há dois anos, então não é esse o fator.?? Piloto da Powertech, ele já ganhou em Curitiba na Fórmula Júnior e na Stock Light, mas não se vê no páreo amanhã. "Estou estreando e só vai dar para pensar em vitória após seis corridas??, calcula.Rodrigo Sperafico, Wagner Ebrahim,Henrique Favoretto e Alceu Feldman completam o contingente paranaense na categoria.Dos pilotos do Estado, o melhor nesta sexta-feira, nos treinos livres, foi Thiago Marques, 3º, com 1min21s383. O paulista Giuliano Losacco, da Medley/A Mattheis foi o mais rápido, com 1min21s262. Tiago Camillo, paulista da Vogel, foi segundo, com 1min21s371. Ontem, dos dez melhores, oito competiram com Chevrolet e dois com Mitsubishi. O grid será definido neste sábado, a partir das 12h40.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.