Nelson Antoine / AP
Nelson Antoine / AP

Tailandês Albon bate no fim, mas é o mais rápido no 1º treino livre em Interlagos

Bottas ficou com o segundo tempo e Vettel com o terceiro; Hamilton e Verstappen não completaram voltas

Wilson Baldini Jr., O Estado de S. Paulo

15 de novembro de 2019 | 13h10

O tailandês Alexander Albon, da Red Bull, foi o mais rápido no primeiro treino livre para o GP do Brasil de Fórmula 1, penúltima etapa da temporada, nesta sexta-feira, no Autódromo de Interlagos. Em sua estreia no circuito paulista, logo sob chuva, o jovem piloto chegou a bater no fim, mas já havia registrado a melhor marca da sessão: 1min16s142.

O finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, ficou com o segundo tempo (1min16s693), seguido pelo alemão Sebastian Vettel, da Ferrari (1min17s041). O monegasco Charles Leclerc, também da equipe italiana, marcou o quarto tempo (1min17s285).

Os carros da Renault tiveram bom desempenho. O alemão Nico Hülkenberg, ficou em sexto lugar (1min17s899), seguido pelo companheiro Daniel Ricciardo (1min17s985). À frente deles, o espanhol Carlos Sainz Jr. colocou sua McLaren (1min17s786) no quinto lugar.

Os carros da Toro Rosso ficaram em oitavo e nono lugares com o francês Pierre Gasly (1min18s100) e o russo Daniil Kvyat (1min18s274). O britânico Lando Norris, da McLaren, fechou a lista dos dez primeiros, com 1min18s559.

O TREINO

O primeiro treino livre do GP do Brasil, com duração de 90 minutos, em Interlagos, foi prejudicado em sua maior parte por uma chuva insistente, que fez com que os pilotos apenas fizessem um reconhecimento da pista. Várias poças foram formadas ao longo dos 4.309 metros do circuito, o que levou funcionários a usarem rodos para movimentar a água. Lewis Hamilton, da Mercedes, e Max Verstappen, da Red Bull, não chegaram a completar uma volta.

O primeiro entre os favoritos para a vitória no domingo a completar uma volta foi Charles Leclerc, da Ferrari. Com alguns pequenos erros, o monegasco completou o giro em 1min21s259, com quase 50 minutos de treino. Por causa da troca de motor, o piloto de 22 anos vai perder dez posições no grid. Na segunda tentativa, Leclerc obteve o tempo de 1min17s285, muito bom para as condições da pista.

Sebastian Vettel, companheiro de Leclerc na Ferrari, com a diminuição da chuva, colocou pneus intermediários e apenas três tentativas depois conseguiu a melhor marca, com 1min17s041.

Na parte final do treino, a 22 minutos do fim, com a pista quase seca, o finlandês Valtteri Bottas mostrou a força da Mercedes ao marcar 1min16s693. O tailandês Alexander Albon conseguiu ser ainda melhor e marcou 1min16s142.

Nos últimos cinco minutos, Verstappen e Albon usaram pneus para pista seca e rodaram. O tailandês chegou a colidir e quebrou a suspensão dianteira. O russo Daniil Kvyat também rodou.

Dos 20 pilotos titulares, apenas o polonês Robert Kubica, que vai abandonar a categoria no fim da temporada, não esteve na pista. Ele foi substituído pelo canadense Nicholas Latifi.

Como a previsão é de uma melhora progressiva do tempo durante todo o fim de semana, as equipes confiaram em resguardar seus trabalhos para os próximos treinos previstos para esta sexta-feira à tarde, das 15h às 16h30, e no sábado, das 12h às 13h. O treino para a definição do grid de largada será no sábado às 15h. O início da corrida está previsto para as 14h10.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.