Wang Zhao/AFP
Wang Zhao/AFP

Alexandre Albon é promovido e assume lugar de Gasly na Red Bull até o fim da temporada

Tailandês deixa a Toro Rosso para ser o novo companheiro de Max Verstappen a partir do GP da Bélgica

Redação, Estadão Conteúdo

12 de agosto de 2019 | 09h16

No meio das férias de verão da Fórmula 1, a Red Bull anunciou nesta segunda-feira uma mudança nas duplas de pilotos de suas duas equipes. O francês Pierre Gasly foi mandado de volta para a Toro Rosso, o time B da escuderia, como consequência de sua temporada decepcionante até aqui. Com isso, o tailandês Alexander Albon foi promovido.

Ele será o novo companheiro do holandês Max Verstappen no restante do campeonato. Ele vai estrear como titular em seu novo desafio no GP da Bélgica, no próximo dia 1º de setembro, em Spa. De acordo com o comunicado divulgado nesta segunda-feira em seu site oficial, o objetivo da Red Bull é fazer uma análise direta do desempenho dos pilotos. O motivo é a busca por um companheiro para Verstappen em 2020, vaga que segue sem dono.

"A Red Bull está na posição única de ter quatro pilotos talentosos que podem ser revezados entre Red Bull e Toro Rosso”, explicou a equipe austríaca. “O time vai utilizar as próximas nove corridas para avaliar a performance do Alex (Albon) e fazer uma decisão de quem vai pilotar ao lado do Max (Verstappen) em 2020. Todos no time estão ansiosos em receber o Alex e o ajudar durante sua próxima fase em sua carreira na Fórmula 1”, seguiu.  

Pierre Gasly havia sido definido para a equipe principal da Red Bull como substituto do australiano Daniel Ricciardo em 2019, tendo impressionado em sua primeira temporada completa na Fórmula 1 com a Toro Rosso no ano passado. No entanto, o francês decepcionou nesta primeira metade do ano, marcando 63 pontos e não subindo ao pódio por nenhuma vez, enquanto Verstappen somou 181 e tem duas vitórias neste campeonato, obtidas na Áustria e na Alemanha.

A Red Bull também confirmou que Gasly retornará à Toro Rosso, fazendo parceria com Daniil Kvyat. O russo, que foi rebaixado para a equipe B no meio da temporada de 2016 para dar lugar a Verstappen, marcou o primeiro pódio da Toro Rosso desde 2008 no GP da Alemanha. Em 2019, ele acumulou 27 pontos contra 16 de Albon.

Com um novo integrante confirmado para a continuidade do campeonato, a Red Bull espera também evoluir no Mundial de Construtores da F-1, no qual ocupa o terceiro lugar, com 244 pontos, 44 atrás da Ferrari, vice-líder. A Mercedes, com 438, lidera de forma disparada esta disputa entre as equipes. Já no Mundial de Pilotos, Verstappen também é o terceiro colocado, mas apenas sete pontos atrás do finlandês Valtteri Bottas (188 a 181), da Mercedes, que tem ainda o inglês Lewis Hamilton folgado no topo, com 250.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.