Anton Vaganov/Reuters
Anton Vaganov/Reuters

Tampa de bueiro solta gera críticas de equipes e pilotos em Baku: 'É inaceitável'

Após incidente em treino, competidores exigem mudanças para melhor segurança para corrida no domingo

Redação, Estadão Conteúdo

26 de abril de 2019 | 13h30

O episódio da tampa de bueiro solta nas ruas de Baku durante o primeiro treino livre para o GP do Azerbaijão, a quarta etapa da temporada de 2019 da Fórmula 1, nesta sexta-feira, que causou um incidente com o carro da Williams dirigido pelo britânico George Russell, desagradou a muita gente na categoria, de chefes de equipe a pilotos.

"É inaceitável. Não é o que você espera de um circuito de Fórmula 1, uma tampa de bueiro supostamente deve ser colocada abaixo. Vamos falar com a direção de prova", reclamou Claire Williams, chefe da equipe inglesa, em entrevista à TV inglesa Sky Sports. "Eu apenas bati (na tampa) e levei um grande impacto no meu corpo. Eu estava apenas na linha reta na minha linha normal", revelou Russell.

Em Baku, o problema começou com uma tampa de bueiro solta no primeiro setor do circuito nas ruas da capital do Azerbaijão. O monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, deu o sinal quando passou por cima e, poucos segundos depois, a peça acabou batendo com força no assoalho do carro da Williams, que vinha logo atrás. O impacto danificou o assoalho e jogou detritos para todo o lado.

Com o incidente, o inglês parou na pista mesmo, provocando a bandeira vermelha. Tão logo se verificou o problema, os fiscais de pista e os comissários de prova começaram a avaliar os danos e iniciaram os reparos. Também foi feita uma inspeção no restante do traçado, mas sem condições de consertar o problema a tempo, a direção de prova decidiu encerrar o treino livrecom menos de 30 minutos após o início.

Para piorar a situação, o caminhão de guincho que levava a Williams de volta para os boxes colidiu com uma passarela, danificando a parte hidráulica do veículo de resgate, e o óleo acabou sendo todo derramado sobre o carro da equipe britânica. Como resultado disso tudo, Russell não pode participar da segunda sessão livre desta sexta-feira.

Quem também criticou o ocorrido foi o inglês Lewis Hamilton, que ainda teve bom humor nas suas declarações. "Como não checaram e prenderam os bueiros?", disse o piloto da Mercedes, pentacampeão mundial da Fórmula 1. "Bom, isso me dá mais tempo para assistir a 'Game of Thrones'", completou, sobre uma de suas séries de TV preferidas.

Tudo o que sabemos sobre:
automobilismoFórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.