Tarso Marques faz a ?última largada?

O piloto de Curitiba, 25 anos, Tarso Marques, faz neste domingo sua última corrida pela equipe Minardi e, quem sabe, até mesmo na Fórmula 1. Como de costume nesta temporada, em razão principalmente dos poucos recursos do seu equipamento, irá largar na 22ª e última colocação.?Valeu e não valeu a pena", afirma, referindo-se a aceitar o convite para competir pela equipe de menor estrutura da Fórmula 1. "99% das pessoas acham que eu queimei a minha imagem, mas não penso que seja assim." A partir do GP da Itália, dia 16, ele será substituído pelo malaio Alex Yoong, que levou alguns milhões de dólares como patrocínio. "Há dois meses já havia solicitado ao meu time que me mandassem embora. Eles não aceitaram e caso resolvesse agir por conta própria poderia me custar caro", explicou Tarso. "Pedi para sair porque em Mônaco, por exemplo, meu motor produzia mil rotações por minuto a menos que o do meu companheiro (o espanhol Fernando Alonso)." Disse mais: "Erraram muitas vezes comigo, como na calibragem dos pneus, em Ímola, e na altura do assoalho, de um lado e do outro, no Canadá." Tudo isso acabou por desestimulá-lo. A falta de desenvolvimento no modelo PS01 também o impressionou: "Até a oitava etapa nós não experimentamos nada de novo no carro." Há espaço para ele na Fórmula 1. "Não numa escuderia como a Minardi, mas quem sabe na Arrows, Prost, ou como piloto de testes de um bom time." Mais vale, segundo Tarso, uma temporada fazendo testes para uma equipe de ponta que cinco anos num time sem a menor estrutura. Se Tarso pode estar deixando a Fórmula 1, outros representantes do Brasil começam a despontar como candidatos a mostrar sua habilidade no Mundial. O paranaense Ricardo Sperafico, por exemplo, da equipe Petrobras Júnior da Fórmula 3000, é um deles. Neste sábado ele venceu a etapa de Spa da categoria, com enorme competência. Ricardo Maurício, da Red Bull, ficou em terceiro. O amazonense Antonio Pizzonia, segundo no grid, cometeu um erro ao esquentar os pneus, enquanto o safety car estava na pista, e rodou. No fim acabou em oitavo. Os três são profissionais que podem vir a representar o Brasil na Fórmula 1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.