Lefteris Pitarakis/AP
Lefteris Pitarakis/AP

Terceiro era o melhor que poderíamos fazer, diz Barrichello

Brasileiro, que correu com fortes dores nas costas, destaca bom desempenho dos carros da Red Bull

21 de junho de 2009 | 10h59

SILVERSTONE - Rubens Barrichello se mostrou conformado por terminado na terceira colocação no GP da Grã-Bretanha deste domingo, apesar de ter largado na segunda colocação. O brasileiro da equipe Brawn terminou a prova em Silverstone logo atrás da dupla da Red Bull, com Sebastian Vettel como o vencedor, seguido por Mark Webber.

Veja também:

link Vettel vence em dobradinha da Red Bull na Inglaterra

tabela F-1: classificação do Mundial

especial Confira o calendário da temporada

especial ESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

"Após o treino de ontem [sábado] imaginamos que o terceiro lugar seria o máximo que conseguiríamos na corrida, pelo desempenho dos carros da Red Bull", disse Barrichello, na entrevista coletiva após a corrida.

O brasileiro largou bem e manteve a segunda posição, mas em nenhum momento conseguiu acompanhar o líder Vettel. Ele manteve a colocação até o intervalo da primeira parada, quando foi superado por Webber. A partir daí, Barrichello passou apenas a se preocupar com os adversários que vinha de trás, principalmente Nico Rosberg, da Williams.

"A parte mais complicada da corrida foi o segundo trecho, com os pneus mais duros, que não se adaptaram às condições da corrida e especialmente por causa do vento, que jogava o carro de um lado para o outro. Após a primeira parada, até tinha um desempenho razoável, mas não dava para acompanhar os carros da Red Bull", explicou o brasileiro, que ainda correu sob efeito de analgésicos. "Também quero agradecer aos médicos por terem conseguido amenizar a minha dor nas costas e me deixado correr."

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Rubens Barrichello

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.