EFE/EPA/ALI HAIDER
EFE/EPA/ALI HAIDER

De Vries lidera testes e Ricciardo é o mais rápido entre carros com pneus de 2022

Mexicano Pato O'Ward liderou a sessão da manhã, mas à tarde ficou seis décimos atrás de sua melhor marca

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2021 | 14h47

O holandês Nyck de Vries foi o mais rápido do primeiro dia de testes pós-temporada da Fórmula 1 no circuito Yas Marina, em Abu Dabi, com a Mercedes, em uma terça-feira em que o finlandês Valtteri Bottas, que se despediu no último domingo da escuderia alemã, fez a sua primeira aparição como piloto da Alfa Romeo.

O atual campeão da Fórmula E esteve no grid como parte do teste de jovens pilotos. O dia foi dividido. As equipes usando os carros deste ano com os novatos, e os "carros-mula", modificados especialmente para o uso dos novos pneus 18 polegadas da Pirelli, sendo estes usados pelos titulares do grid. De Vries foi o mais rápido ao marcar 1min23s194 nos 30 minutos finais do dia, mais de 1s3 à frente de Liam Lawson, que cravou 1min24s517 em sua estreia com um Fórmula 1 a bordo da AlphaTauri.

O australiano Oscar Piastri, campeão da Fórmula 2 e reserva da Alpine em 2022, foi o terceiro mais rápido, apenas 0s006 atrás de Lawson (1min25s200), enquanto que Pato O'Ward foi o quarto com a McLaren, após completar quase duas corridas ao longo do dia. O mexicano liderou a sessão da manhã, mas à tarde ficou seis décimos atrás de sua melhor marca.

Além de Bottas, o chinês Guanyu Zhou também fez a sua estreia com a Alfa Romeo. O finlandês recebeu a permissão da Mercedes para participar do teste com a nova equipe e usou um macacão branco para a sessão. Zhou foi o quinto no geral, à frente do estoniano Juri Vips com a Red Bull, que causou uma das três bandeiras vermelhas do dia, após rodar na curva 14, danificando seu carro.

O britânico Nick Yelloly, piloto de simulador da Aston Martin foi o sétimo, à frente de Daniel Ricciardo, que foi o melhor classificado entre os pilotos que correram com os pneus de 2022, terminando 1s6 atrás do tempo de O'Ward na McLaren de 2022. O australiano inclusive foi o causador da primeira bandeira vermelha do dia.

Bottas foi o 12.º à frente do italiano Antonio Fuoco e do japonês Yuki Tsunoda, enquanto que Logan Sargeant, estreando a bordo de um Fórmula 1 com a Williams, foi o 15.º. Um problema no motor comprometeu parte de seu dia, mas o americano conseguiu completar seu programa, acumulando 92 voltas. O francês Esteban Ocon foi o 16.º com a Alpine, à frente do campeão Max Verstappen. O holandês da Red Bull ficou à frente do britânico George Russell, que testará a Mercedes nos dois dias. O alemão Mick Schumacher foi o 19.º com a Haas.

O último dia de testes acontece nesta quarta-feira. Como as equipes podem colocar o piloto novato na pista apenas na terça, somente a Haas terá dois carros, com o russo Robert Shwartzman e o brasileiro Pietro Fittipaldi. Já a Williams não participará, já que a equipe não fez um "carro-mula" para testar os pneus de 2022.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.