Thiago Camilo vence na Stock-Car

Roberto Carlos, lateral-esquerdo do Real Madrid e da seleção brasileira é mesmo pé-quente. De férias no Brasil, aproveitou hoje para assistir à terceira etapa da Stock, no autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. E deu sorte para Thiago Camilo, de quem é empresário. O piloto paulista venceu a corrida com grande facilidade, de ponta a ponta, e conseguiu seus primeiros 25 pontos na temporada. Mas quem também saiu no lucro foi Cacá Bueno. Ele chegou em segundo e foi beneficiado pelo fato de seu mais direto perseguidor, Giuliano Losacco, não ter pontuado. Com isso, foi a 66 pontos e abriu 36 de vantagem para o atual campeão da categoria, que permanece com 34. No entanto, o dia hoje foi de Camilo. Aliás, o fim de semana foi do piloto. Na sexta-feira ele já havia sido o mais rápido no primeiro treino livre. No sábado, fez a pole position. Hoje, dominou as 23 voltas da corrida como quis. Na volta 12, por exemplo, tinha quase 10 segundos de vantagem para o segundo colocado, Cacá Bueno, quando a prova ficou sob bandeira amarela - o safety car entrou após forte batida de Guto Negrão na barreira de pneus -, reagrupando os carros. Na relargada, Camilo manteve-se à frente e foi abrindo vantagem a cada volta. Concluiu o GP, após 47min53s723, com apenas 2s829 sobre Cacá - o terceiro colocado foi Felipe Maluhy, da Avallone, o Mitsubishi mais bem classificado. Isso porque, ao entrar na reta de chegada, reduziu a velocidade, já mais preocupado com o pessoal de sua equipe, que aguardava a bandeirada junto ao muro que divide a pista da área dos boxes. Camilo obteve sua segunda vitória na Stock, a primeira na temporada, graças ao seu talento e à competência da equipe Vogel Motorsport. "Para o Rio, nos preocupamos com todos os detalhes, justamente para não termos problema?, disse o vencedor. Para ele, o fato de largar na pole representou meio caminho andado para a vitória. "Hoje a classificação é metade da corrida, quem sai atrás se dá mal porque no pelotão intermediário o couro come.? Hoje, a largada foi com os 40 carros em movimento. Isso ajudou para que não acontecesse nenhum acidente nos metros iniciais da prova. Mas durante a corrida, ocorreram alguns toques e saídas de pista, além de um acidente com Pedro Gomes, que estava em segundo quando um pneu de seu carro se soltou, o que lhe obrigou a abandonar a corrida. Com isso, Cacá, da equipe Action Power, herdou a posição e não se preocupou em atacar Tiago Camilo e, sim, em não ser superado. "Admistrei a corrida pelo retrovisor, porque o sergundo lugar era um excelente negócio. Antes da corrida, tinha 16 pontos e vantagem (para Losacco), agora tenho 36?, justificou Cacá. A próxima etapa será dia 3 de julho, em Interlagos, e Roberto Carlos espera comparecer. "Sou apaixonado por automobilismo e, pelo meu tamanho, se não fosse jogador, até poderia ser piloto?, brincou o lateral, que além de empresariar Camilo, é sócio da equipe RC3-Bassani, dos pilotos Chico Serra (11.º ontem) e Mateus Greipel (19.º). Classificação da corrida: 1.º) Thiago Camilo (Vogel) 23 voltas em 47min53s723; 2.º) Cacá Bueno (Action Power), a 2s829; 3.º) Felipe Maluhy (Avallone), a 3s208; 4.º) Thiago Marques (Action Power), a 8s931; 5.º) Hoover Orsi (NasrCastroneves) a 9s593; 6.º) Rubens Fortes (JF Racing) a 11s035; 7.º) Luciano Burti (Eurofarma-RC) a 12s180; 8.º) Nonô Figueiredo (RS) a 13s893; 9.º) Ingo Hoffmann (AMG) a 14s228; e 10.º) David Muffato (Boettger) a 14s598. Classificação do campeonato: 1.º) Cacá Bueno, 66; 2.º) Giuliano Losacco (Medley/A. Mattheis), 34; 3.º) Nonô Figueiredo, 30; 4.º) Rodrigo Sperafico (WB), 28; 5.º) 5.º) Thiago Camilo, Antonio Jorge Neto (Eurofarma/RC) e Luciano Burti, 25.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.