Todt ameniza favoritismo da Ferrari

O diretor esportivo da Ferrari, Jean Todt, equipe que venceu os seis últimos GPs de Fórmula 1, todos com Michael Schumacher, afirmou nesta terça-feira que a vantagem de seu time este ano é menor do que as pessoas querem acreditar. "Na Austrália, Mika Hakkinen estava bem próximo de Michael até quebrar", lembrou Todt. "E na Malásia a escolha certa dos pneus nos garantiu uma boa diferença para nossos adversários", disse.A partir desta quarta-feira Ferrari e McLaren, dentre quase todas as demais escuderias, começam a treinar para o GP do Brasil no Circuito da Catalunha, em Barcelona. Antes de responder ao repórter do jornal Bild sobre a "legalidade" da Ferrari, conforme algumas publicações do país de Schumacher questionam, Todt procurou desfazer o superfavoritismo que a imprensa de modo geral vem atribuindo ao seu time. "As duas primeiras corridas não permitem conclusões definitivas", argumentou. "Vivemos situações bastante particulares em Sepang enquanto em Melbourne era a primeira etapa da temporada e tudo podia acontecer."O francês destacou que, na Austrália, o ritmo de Hakkinen até sua McLaren quebrar (na 26ª volta de um total de 58) era quase o mesmo de Schumacher e que o próprio finlandês estabeleceu, na Malásia, a melhor volta da corrida. O piloto da McLaren fez na 48ª volta (a prova teve 55) 1min40s962, enquanto o alemão da Ferrari ficou com a terceira melhor volta, 1min41s833, obtida ainda na segunda passagem. Essa análise dissimulatória assim como o desmentido enérgico de que a Ferrari corre com seu carro fora do regulamento estão numa entrevista publicada nesta terça-feira pelo Bild."A Ferrari tem um nome a zelar, construído ao longo de muitas conquistas. Nossa empresa não colocaria sua reputação em risco", falou Todt para explicar que a acusação de que a escuderia compete com controle de tração é falsa. "Quando alguém acusa a Ferrari está ao mesmo tempo atingindo a Federação Internacional de Automobilismo (FIA)", declarou. "Há um órgão controlador de toda a nossa atividade na Fórmula 1, no caso a FIA."Testes - A equipe que lidera o Mundial de Pilotos e Construtores estará no Circuito da Catalunha nesta quarta-feira com Luca Badoer, seu piloto de testes. Com o modelo F1-2000, do campeonato passado, ele testa os componentes eletrônicos que serão reintroduzidos na Fórmula 1 a partir do GP da Espanha, dia 29 de abril. Schumacher estava nesta terça-feira na sua casa em Vufflens-le-Chateau, na Suíça. Quinta-feira ele inicia sua preparação para o GP do Brasil. A Ferrari programou dois dias de testes com o modelo F2001 em Barcelona.Segundo a assessoria da McLaren, Hakkinen inicia seu trabalho para a prova de Interlagos nesta quarta-feira mesmo, também no Circuito da Catalunha. O finlandês analisou sua situação no Mundial de forma surpreendente: "É melhor que a de 2000", comentou. "Ano passado, depois de suas etapas eu não tinha ponto algum enquanto agora eu já somei um", explicou. "No último campeonato dispunha de um carro mais veloz mas também menos resistente", falou. "O MP4/16 suportou sem dificuldade o GP da Malásia, comigo e com David (Coulthard), ainda que não temos a mesma velocidade do modelo de 2000."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.