Tomas Enge vence etapa da F-3000

Três pilotos brasileiros classificaram-se neste sábado, no GP da Europa de Fórmula 3000, entre os seis primeiros que marcam pontos na competição. O checo Tomas Enge, da equipe Nordic, venceu a sexta etapa do campeonato, em Nurburgring, e o australiano Mark Webber, SuperNova, ficou em segundo. Mas Ricardo Sperafico, da Petrobras Junior, chegou em terceiro, Ricardo Mauricio, Red Bull, em quinto, e Antônio Pizzonia, Petrobras Junior, em sexto.Dois outros brasileiros não marcaram pontos: Rodrigo Sperafico, da Coloni, 12º, e Jaime Mello, Durango, 13º. Mario Haberfeld, da SuperNova, envolveu-se num acidente a quatro voltas da bandeirada, quando lutava pela 15ª colocação.Com o resultado deste sábado, o inglês Justin Wilson, da Nordic, segue liderando a competição, com 31 pontos, seguido agora pelo companheiro de equipe, Enge, 28, e Webber, 26. Mello e Pizzonia dividem a quinta colocação com 8 pontos. A próxima etapa do campeonato será dia 30 no circuito de Magny-Cours, depois da definição do grid do GP da França de Fórmula 1.A realidade do Brasil na F-3000 este ano é distinta da vivida ano passado. A esta altura, meio do campeonato, Bruno Junqueira, da Petrobras Junior, liderava a classificação com boa folga. Ao todo ele venceu quatro etapas na temporada. Agora os mais bem colocados são Mello e Pizzonia com apenas 8 pontos. Todos os pilotos, bem como o dono de suas equipes e até Ricardo Zonta, hoje na F-1, mas campeão da F-3000 em 1997, têm uma única explicação para a ausência de melhores resultados: "falta de experiência."Como praticamente não é permitido treinar e as provas começam já com as duas sessões de classificação para o grid, os pilotos que disputaram ao menos um campeonato contam com enorme vantagem. "Temos uma hora para conhecer a pista, acertar o carro e obter uma boa colocação no grid", diz Pizzonia. A maior prova do quanto esse conhecimento prévio é determinante ocorreu na etapa de abertura do campeonato da F-3000, em Interlagos, este ano: os quatro primeiros colocados eram brasileiros.Eles já haviam ao menos treinado na pista, ainda que com carros de outras categorias. "Vamos ver o que acontecerá na duas próximas etapas, Magny-Cours e Silverstone, onde pudemos treinar. Acho que será diferente", avalia Paul Jackson, diretor da Petrobras Junior, campeã ano passado com Bruno Junqueira, na sua terceira temporada.

Agencia Estado,

23 de junho de 2001 | 11h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.