Torcedor não vê ninguém igual a Senna

A poucos dias de completar-se sete anos da morte de Ayrton Senna - ele morreu no dia 1.º de maio de 1994 - a figura do piloto brasileiro ainda é capaz de levar gente às corridas. É o caso do aposentado Ernani Santos Climb, que garante que acompanha as provas apenas para comparar os atuais pilotos a Senna. "Nunca mais vi nada igual ao Ayrton. Falam que o Schumacher é um fenômeno, mas ele não tem adversário, todos os outros são medíocres. Queria ver ele correndo contra Piquet, Prost e Mansell", observou o torcedor, vestindo uma camisa preta com a imagem de Senna ainda na finada equipe Lotus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.