Torcida organizada tenta fazer Alonso se sentir em casa

Fã-clube oficial do piloto manda 72 pessoas para São Paulo para torcer para o espanhol e 'secar' Hamilton

Martín Fernandez, Estadão

19 de outubro de 2007 | 17h14

Fernando Alonso está a um oceano de distância da Espanha. Mas quase uma centena de torcedores apaixonados fazem de tudo para que o piloto asturiano se sinta em casa. O fã-clube oficial mandou 72 pessoas para São Paulo, com a missão de torcer para Alonso e, ao mesmo tempo, secar Lewis Hamilton. "Não veio mais gente porque a passagem era muito cara", conta o presidente da entidade, Manuel Robredo, de 44 anos empresário do setor de turismo.  Veja também: Dê uma volta pelo Circuito de Interlagos Classificação do Mundial   Você perdoaria Felipe Massa se ele abrisse mão da vitória no GP do Brasil para que Kimi Raikkonen fosse campeão? Hamilton é o mais rápido no 2.º treino para o GP do Brasil Na 1.ª sessão, Ferrari é a melhor; veja a classificação Hamilton é investigado por possível infração de norma sobre pneus O pacote com passagens de avião, hospedagem e ingressos para corrida e treino custaram 1699 euros (quase R$ 4,4 mil) Aqui chegando, os espanhóis tiveram o apoio do fã-clube brasileiro, que acrescentou algumas dezenas de torcedores. O ato mais marcante do apoio ao espanhol ocorreu nesta sexta-feira à noite, num hotel na região da Avenida Paulista. Com perucas, caras pintadas e fantasias, os 'alonsistas' encenaram os personagens do filme "Coração Valente", aquele em que Mel Gibson interpreta William Wallace, um personagem histórico que organizou a resistência ao então Rei da Inglaterra. Os malvados dessa história, sempre segundo a versão dos espanhóis, são a equipe McLaren, o chefão Ron Dennis e o "garoto mimado" Lewis Hamilton, todos ingleses. "O que eles fizeram com Fernando nesta temporada foi um absurdo", brada Robredo. "Acompanho a carreira dele faz 10 anos, e esta é a corrida mais importante da sua vida." Além da encenação, não faltarão neste sábado e domingo em Interlagos as tradicionais bandeiras da Espanha, da província de Astúrias e faixas de apoio. "Queremos fazer com que ele não se sinta sozinho", repete Robredo. "Enquanto ele estiver dirigindo por Interlagos, 40 milhões de pessoas estarão soprando seu carro para a vitória."  No Brasil, o fã-clube é presidido pela empresária de moda Andréa Amadeu, de 29 anos. Foi ela quem recebeu os espanhóis e ajudou na logística em São Paulo. "Não sou espanhola, mas na Fórmula 1 sou 100% Alonso", garante. A paixão começou quando Andrea voltou a assistir fórmula 1, depois de umas "férias forçadas" da modalidade, provocada pela morte do antigo ídolo, Ayrton Senna. "Ele é quem mais lembra [Senna], por isso a torcida. Ele é rápido, arrojado e melhora as equipes por onde passa. Por isso merece ser campeão."  Fure o pneu! As manifestações de apoio a Alonso também se espalham pela internet. Desde o início da semana, fãs do espanhol criaram o site http://www.pinchelaruedadehamilton.com/, no qual convida os internautas a furarem os pneus do piloto inglês. Pode-se jogar uma tachinha, um prego ou um porco espinho na pista de Interlagos. Ao fazê-lo, o torcedor recebe um recado: "Obrigado, espero que você tenha ajudado a furar um pneu de Hamilton."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.