Reuters/Eddie Keogh
Reuters/Eddie Keogh

Toto Wolff diz que polêmica entre Hamilton e Vettel esquentará luta pelo título

Alemão jogou sua Ferrari contra a Mercedes do britânico por entender que havia sido prejudicado

O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2017 | 18h20

O chefe da Mercedes, o alemão Toto Wolff, disse nesta segunda-feira que o incidente entre Lewis Hamilton e Sebastian Vettel durante o GP do Azerbaijão, no último domingo - o alemão jogou a sua Ferrari contra a Mercedes do britânico por entender que havia sido prejudicado por uma freada busca do rival antes de uma relargada -, deverá aquecer a disputa pelo título do Mundial de Pilotos na Fórmula 1.

"São oito corridas na temporada e os dois caras respeitam muito um ao outro - e agora temos uma situação onde há mais controvérsia e sempre ficou claro que isso pode acontecer em qualquer corrida. Eu ainda acredito que o incidente não mudará o nível de respeito, mas, sim, em todas as corridas aumenta entre dois grandes do esporte", destacou Toto Wolff.

O dirigente da Mercedes contemporizou a confusão entre os dois primeiros colocados da temporada de 2017, alegando que o clima em uma corrida é muito quente e os pilotos muitas vezes não têm a visão total de uma situação particular, fato que pode provocar uma reação inesperada.

"Bem, as emoções são altas em uma corrida de carros. Você mantém o visor baixo e tem a sua própria percepção sobre o que é realidade. A única explicação que tenho sobre é que Sebastian (Vettel) pensou que Lewis (Hamilton) estava testando os freios, que não era o caso. Já vimos os dados. Então provavelmente houve um julgamento errado do lado de Sebastian. Gostaria de falar com ele pessoalmente ao invés de fazer um pré-julgamento apenas em boatos", analisou o chefe da Mercedes.

Toto Wolff entende que a punição imposta a Sebastian Vettel - que teve de fazer um "drive through" (parada nos boxes) de 10 segundos - teria que ser reavaliada. "Bem, se um piloto faz isso de propósito - por pura raiva - então você precisa pensar sobre o tamanho da penalidade. Ele é um tetracampeão mundial e estamos estabelecendo exemplos para jovens pilotos sobre o que é permitido e o que não é. Então, temos que pensar duas vezes".

O dirigente também elogiou o desempenho do segundo piloto da escuderia, o finlandês Valtteri Bottas, que saiu da última colocação para atingir o segundo lugar e subir no pódio após uma ultrapassagem espetacular nos últimos metros da prova sobre o canadense Lance Stroll, da Williams.

"Sua corrida foi incrível. Seu início - especialmente na segunda relargada - foi infeliz. Ele ficou muito para trás e sabíamos que sua única chance de entrar no jogo novamente era um safety car. E vir tão de trás e terminar na segunda posição foi um milagre do esporte. - igual ao desempenho de Daniel (Ricciardo) a partir da 10.ª posição terminando em primeiro e Lance (Stroll) no pódio. Era uma dessas corridas onde tudo pode acontecer e aconteceu. A imprevisibilidade foi simplesmente maravilhosa", finalizou Toto Wolff.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.