Daniel Munoz/Reuters
Daniel Munoz/Reuters

Toyota perde posições por utilizar asa traseira flexível

MELBOURNE - Os Toyota do italiano Jarno Trulli e do alemão Timo Glock tiveram seus tempos excluídos pelos comissários do GP da Austrália de Fórmula 1 após exame e comprovação de que as asas traseiras de seus carros eram "extremamente móveis", o que é proibido pelo regulamento.

EFE

28 de março de 2009 | 08h16

Veja também:

linkDobradinha Button-Barrichello na 1.ª fila do GP da Austrália

link FIA estudará caso de difusores em 14 de abril

especialESPECIAL: Conheça os pilotos e equipes da F-1 2009

especialConfira o calendário (com horários) da temporada 2009

especialEspecial: jogue o Desafio dos Pilotos

Os comissários receberam um informe do delegado técnico da prova em que informava que as asas traseiras dos carros número 9 e 10 se mostravam extremamente flexíveis e infringiam o artigo 3.15 do regulamento técnico da Fórmula 1.

Depois de ter escutado as explicações dos representantes da Toyota e terem examinado os carros em questão, os comissários, assim como o delegado técnico, concluíram que ambos estavam irregulares e decidiram excluí-los da sessão de classificação.

Timo Glock havia conseguido o sexto melhor tempo e Jarno Trulli o oitavo e neste domingo terão de partir da última fila do grid de largada, desde que estejam com asas dentro do regulamento da Fórmula 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.