Tradição não ganha corrida, diz Rubinho

O piloto Rubens Barrichello revelou nesta sexta-feira em São Paulo, que vários motivos o levaram a trocar a Ferrari pela BAR, mas o principal foi o motor Honda. ?Só tradição não ganha corrida. Estou indo (para a BAR) pelo motor e pelo potencial que a equipe tem de brigar pelo título. A BAR foi a equipe que mais evoluiu nos últimos anos e isso tudo é um plus?, afirmou ele, em entrevista coletiva. Rubinho fez questão de elogiar o britânico Jenson Button - seu companheiro de equipe a partir de 2006. Segundo ele, trata-se de um piloto com ?muito potencial? e que vai exigir de toda a equipe uma performance cada vez melhor.Barrichello revelou ainda ter feito um pedido especial aos mecânicos da Ferrari. Quer que eles o ajudem a vencer pelo menos uma das três corridas que restam para o final da temporada 2005 - Brasil (25/9), Japão (9/10) e China (16/10). ?Eu tenho conversado com eles e pedi que me ajudem a tentar a vitória nas três corridas, o que me faria sair com o mesmo sorriso com que entrei na Ferrari?, contou. O brasileiro avalia que as chances de vencer domingo, em Interlagos, são remotas. Acha que a possibilidade de largar na pole ?é quase zero?, mas ainda alimenta esperanças de ganhar . ?Durante a prova tudo é possível. As possibilidades são muitas?, diz ele.Nesta quinta-feira, pela primeira vez na semana, Rubinho deverá estar no autódromo de Interlados para os primeiros acertos no carro.  Ouça Barrichello 1ª parte / 2ª parte

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.