Divulgação / IndyCar
Divulgação / IndyCar

Três meses após grave acidente na F-1, Grosjean bate o carro em estreia na Indy

Em teste na nova categoria, piloto francês erra e bate em barreira de pneus em circuito no Alabama

Redação, Estadão Conteúdo

24 de fevereiro de 2021 | 11h30

De volta às pistas três meses após um gravíssimo acidente no GP do Bahrein de Fórmula 1, o francês Romain Grosjean levou um susto logo em seu primeiro teste na Fórmula Indy, categoria nos Estados Unidos que disputará na temporada de 2021. Em sua estreia pela equipe Dale Coyne, durante testes no circuito de Barber, no Alabama, na terça-feira, o piloto, de 34 anos, acabou batendo o carro em uma barreira de pneus após uma curva.

Apesar do acidente, Grosjean conseguiu prosseguir correndo e encerrar a sessão normalmente após 83 voltas, superando as limitações nas mãos - ele sofreu graves queimaduras no acidente com a Haas no ano passado. Ficou em último lugar no treinamento.

Depois do teste, o francês foi abordado sobre a questão física e confirmou que não está 100% recuperado de seu acidente na Fórmula 1. "Nas primeiras voltas, os meus músculos não estavam muito bem aquecidos, mas melhoraram no final, o que é um bom sinal. Na verdade, ela (mão) se comportou muito bem. Notei um grande estalo na parte final e foi um pouco dolorido. Sei que ela não está totalmente recuperada e ainda está sensível", disse.

Grosjean ainda detalhou o "novo" acidente e tranquilizou os fãs. "Eu fui muito rápido (na curva) e quando estava freando, também acelerei, o que é feito em alta velocidade (na Fórmula 1). Na IndyCar isso deixa o carro instável. Foi uma experiência instrutiva, as coisas ficaram melhores depois", completou.

Na temporada de 2021 da Fórmula Indy, que começará em abril, Grosjean participará de todas as etapas em circuitos mistos e de rua, ficando fora somente das corridas em ovais - inclusive as 500 Milhas de Indianápolis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.