Antonio Calanni/AP
Antonio Calanni/AP

Tribunal francês revoga exclusão de Flavio Briatore da F-1

Italiano havia sido banido por ordenar que Nelsinho Piquet batesse o carro; ele ainda receberá indenização

BERTRAND BOUCEY, Reuters

05 de janeiro de 2010 | 12h42

Um tribunal francês revogou nesta terça-feira a sentença de exclusão do esporte imposta ao ex-chefe da Renault Flavio Briatore pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) pelo envolvimento do italiano na manipulação de uma corrida.

Briatore foi suspenso pela FIA, entidade responsável pela Fórmula 1, por seu papel na manipulação da corrida de Cingapura de 2008, em que teria ordenado que o piloto brasileiro Nelsinho Piquet provocasse um acidente para favorecer o então outro piloto da Renault, Fernando Alonso.

A batida proposital de Nelsinho no muro provocou a entrada do safety car na posta num momento favorável a Alonso, que acabou vencendo a corrida.

"A corte decidiu que a sanção era ilegal", disse o juiz ao tribunal. Briatore ainda recebeu direito a uma indenização de 15 mil euros.

O departamento jurídico da FIA informou que provavelmente vai recorrer da decisão.

Nelsinho revelou ao mundo um dos maiores escândalos da história da F-1 após ser demitido pela Renault em julho. Ele disse à FIA que recebeu ordem de Briatore para provocar o acidente.

A Renault, equipe bicampeão do mundo com Alonso em 2005 e 2006, recebeu uma pena condicional, enquanto o ex-engenheiro da equipe foi suspenso por cinco anos.

Briatore apresentou seu recurso em outubro, afirmando que não teve direito a uma defesa livre e justa no julgamento da FIA.

Tudo o que sabemos sobre:
fórmula 1Flavio BriatoreRenalt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.