Turquia pode ficar sem Grande Prêmio de Fórmula 1 a partir de 2012

Problema é o aumento da taxa do promotor de US$ 13 milhões para US$ 26 milhões

AE-AP, Agência Estado

22 de abril de 2011 | 09h58

ISTAMBUL - O GP da Turquia pode ficar de fora do calendário da Fórmula 1 a partir da próxima temporada - a corrida deste ano, porém, está garantida e acontece no dia 8 de maio. O motivo para um possível fim da prova em Istambul é o aumento do valor cobrado pelos organizadores da categoria para a realização da etapa.

O presidente da Câmara de Comércio de Istambul, Murat Yalcintas, que representa os patrocinadores locais do GP da Turquia, revelou que a taxa para receber a prova será dobrada a partir do ano que vem, passando de US$ 13 milhões (cerca de R$ 20 milhões) para US$ 26 milhões (R$ 40,7 milhões). E que isso inviabilizaria a realização do evento.

"Parece que a Fórmula 1 não irá a Istambul no ano que vem", afirmou Yalcintas, revelando que o ministério das Finanças da Turquia considera o valor pedido muito alto. Ele contou, porém, que ainda existem negociações com Bernie Ecclestone, o promotor da categoria, para tentar viabilizar um acordo.

"Se Ecclestone for irredutível, não haverá acordo. Isso é dinheiro público", explicou Yalcintas, lembrando que o contrato em vigor vence neste ano. "Mas ainda não há nada certo. E, mesmo que não haja acordo para o ano que vem, isso não quer dizer que não pode ter Fórmula 1 na Turquia no futuro."

A Turquia entrou no calendário da Fórmula 1 em 2005, mas vem sofrendo com a falta de público, diante do preço caro dos ingressos e do acesso complicado ao autódromo, que fica na parte asiática de Istambul. De qualquer maneira, receberá a próxima etapa do campeonato, marcada para o dia 8 de maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.