Jan Kasl/Red Bull Content
Jan Kasl/Red Bull Content

Um carro de Fórmula 1 contra um avião de ponta-cabeça: quem venceria esta corrida? Veja vídeo

Red Bull Racing promoveu desafio entre o ex-piloto David Coulthard e o campeão mundial de Corrida Aérea Martin Sonka

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2021 | 19h22

Já imaginou quem venceria uma corrida em linha reta entre um carro de Fórmula 1 e um avião? E se, para deixar as coisas mais emocionantes, a aeronave estivesse de ponta-cabeça? Aparentemente impossível, o desafio foi promovido pela Red Bull Racing, com a participação do ex-piloto David Coulthard e o campeão mundial de Corrida Aérea Martin Sonka, no novo vídeo disponibilizado pela marca. 

A produção, lançada nesta semana, mostra uma viagem pelos castelos da República Tcheca e Eslováquia, colocando o carro de Fórmula 1, modelo RB7, para acelerar em superfícies de paralelepípedo, asfalto e terra batida. O grande confronto final de velocidade foi uma corrida no campo de aviação de Poprad, na Eslováquia. 

"Tudo é real. Quando a aeronave está a apenas alguns metros acima do RB7 e de cabeça para baixo, isso é real, essa é a habilidade de Martin", disse Coulthard. "Tem sido uma jornada de descoberta para mim, além de mostrar o que um carro de Fórmula 1 pode fazer fora da pista”, completa. 

Especialista em acrobacias, Sonka explicou como conseguiu pilotar seu avião de cabeça para baixo e manter a aeronave emparelhada com o carro de Coulthard. 

“Nós temos uma visão muito limitada dentro dos nossos cockpits e, para voar a um nível tão baixo e invertido, tenho mais ou menos de olhar para frente para poder controlar a altura do avião. O piloto (David) também tem de olhar para frente, contudo, devido aos apoios de cabeça e pescoço que os pilotos de F1 utilizam, ele não consegue olhar para cima. Resolvemos esse problema colocando um pequeno espelho na frente dele para que pudesse me ver e olhar adiante."

Confira o resultado do sesafio no vídeo abaixo

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Red Bull Racing

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.