AFP
AFP

Van der Garde faz acordo com Sauber e receberá compensação

Piloto admite adeus à Fórmula 1; valores não foram divulgados

Estadão Conteúdo

18 Março 2015 | 10h09

O holandês Giedo van der Garde afirmou nesta quarta-feira ter resolvido o seu imbróglio judicial com a Sauber após aceitar uma "significativa compensação" financeira e avaliou que a sua carreira na Fórmula 1 chegou ao fim em razão dessa polêmica.

Van der Garde fechou um acordo para ser um dos pilotos da Sauber nesta temporada, mas a equipe não honrou o acordo, mesmo que decisões judiciais na Suíça e na Austrália, na semana passada, antes da prova de abertura do campeonato, tenham sido favoráveis ao holandês.

"Meus direitos foram finalmente reconhecidos e, com isso, pelo menos, alguma justiça foi feita" com a definição de uma compensação financeira para o piloto, escreveu Van der Garde em seu perfil na rede social Facebook. O holandês, porém, se declarou "triste e decepcionado" com o fim das suas ambições na Fórmula 1, e afirmou ainda estar perplexo com a decisão da Sauber.

"Eu esperava finalmente ter condições de mostrar o que sou capaz de fazer, pilotando um carro de uma respeitada equipe média na temporada de 2015", disse Van der Garde. "Este sonho foi tirado de mim, e sei que o meu futuro na Fórmula 1 provavelmente acabou".

O acordo põe fim a uma longa disputa que marcou o início da temporada da Fórmula 1, no último fim de semana, com o GP da Austrália, em Melbourne. Tendo recebido o apoio de um tribunal suíço, Van der Garde levou o seu caso à Suprema Corte do Estado de Victoria, na Austrália, onde teve êxito na audiência inicial e contra a apelação da Sauber.

Como a Sauber não cumpria a decisão, a equipe chegou a ficar sob risco de ter equipamentos confiscados, além ter a sua chefe, Monisha Kaltenborn, detida. Depois, porém, Van der Garde, concordou em cancelar a ação, permitindo que os pilotos Felipe Nasr e Marcus Ericsson competissem Melbourne, onde a equipe teve um desempenho surpreendente bom, com o brasileiro ficando em quinto lugar e o sueco em oitavo.

Van der Garde, disse nesta quarta-feira desistiu de prosseguir com a ação judicial porque isso iria "destruir" o fim de semana da equipe, e atingir Nasr e Ericsson mais do que todos. "Eu decidi que não queria mais viver com essa ideia, mesmo que apenas os administradores da equipe tenham sido os responsáveis pela situação bizarra que eu me encontrava", disse Van der Garde.

O holandês explicou que, bancado por seu padrinho, destinou recursos financeiros para a equipe durante o campeonato de 2014 para correr em 2015. "Efetivamente, foram pagamentos realizados pelo meu padrinho que ajudaram a equipe a sobreviver em 2014", disse Van der Garde. "A tomada de uma decisão financeira da Sauber neste caso é bizarro, e não faz sentido para mim".

Ele disse que sua experiência "vai servir como um exemplo para ilustrar o que deve mudar, e que novos regulamentos sejam implementadas para ajudar a proteger os direitos dos pilotos". "Há numerosos exemplos de pilotos talentosos com boas intenções, mas sem o tipo de apoio profissional que eu tive, que viram seus contratos quebrados na Fórmula 1, e que viram suas carreiras destruídas", afirmou.

Piloto da Caterham na temporada 2013 da Fórmula 1, Van der Garde disse que agora vai buscar oportunidades em outras categorias do automobilismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.