Vantagem motiva ainda mais Ferrari

Apesar da vantagem de 31 pontos de Michael Schumacher sobre o segundo colocado no Mundial, David Coulthard, da McLaren, e dos 52 pontos a mais que possui em relação à McLaren no campeonato dos construtores, a equipe Ferrari não diminui o ritmo dos treinos. Desta terça-feira até sábado seu programa de ensaios é bastante extenso. A Fórmula 1 já faz contas para saber onde Michael pode definir o título. O recorde de precocidade para a conquista do mundial é de Nigel Mansell, em 1992, com apenas 68,7% das provas disputadas, e não pode ser mais batido este ano."A Ferrari treina demais", costuma dizer Rubens Barrichello. "Às vezes você trabalha tanto que acaba sendo contraproducente", já disse o piloto para a imprensa italiana. Mas talvez esteja aí um dos segredos da eficiência da Ferrari nos últimos anos. Agora, por exemplo, faltando sete etapas para o encerramento da temporada, Schumacher soma 78 pontos, diante de 47 de Coulthard e 31 de Ralf, da Williams, e mesmo assim desta terça-feira até sábado haverá testes para tudo. O programa foi definido nesta segunda-feira de manhã na tradicional reunião do time de Maranello com o presidente da empresa, Luca di Montezemolo, que cumprimentou a todos pela bela vitória domingo, no GP da França, a sexta do ano.Luca Badoer vai treinar nesta terça-feira em Mugello. Quarta-feira e depois vai a Fiorano, pistas particulares da Ferrari, e na sexta-feira Schumacher assume o carro em Fiorano. Enquanto isso, o segundo piloto de testes, Fabrizio Giovanardi, fará sexta-feira e sábado testes aerodinâmicos nas longas retas do circuito de Vairano. Rubens Barrichello descansa esta semana. A próxima etapa do calendário será dia 15, em Silverstone, Inglaterra, onde Rubinho obteve a única pole position desde que estreou na Ferrari, no campeonato do ano passado. Várias escuderias iniciam nesta terça-feira também novo período de treinamento, na veloz pista de Monza.Em 1992, Mansell definiu a conquista do título no GP da Hungria, o 11º daquele Mundial. A 11ª etapa da temporada deste ano é a próxima, o GP da Grã-Bretanha, e não há, matematicamente, possibilidade de Schumacher ser campeão. Existe uma pequena chance de a Ferrari e o piloto alemão fazerem a sua festa na corrida seguinte, diante dos milhões de torcedores de Schumacher, no GP da Alemanha, dia 29. Ele teria de vencer as duas próximas provas, Silverstone e Hockenheim, e ainda torcer para Coulthard não marcar mais de um ponto nas duas.Nesse caso Schumacher somaria 20 pontos aos 78 que possui e chegaria a 98, sendo que com 8 vitórias, as seis atuais e as duas obtidas na Inglaterra e na Alemanha. Coulthard tem hoje 47 pontos e com mais um ponto nessas duas corridas ficaria com 48. Se ele vencesse as cinco etapas restantes, somaria 50 pontos aos seus 48, o que lhe daria 98 pontos, o mesmo de Schumacher por essa hipótese de ele vencer as duas próximas provas do Mundial.Ocorre que o escocês da McLaren teria, apesar da mesma pontuação de Schumacher, uma vitória a menos, 8 a 7. Até agora ele ganhou apenas duas vezes. Mas essa é uma combinação bastante remota de acontecer. O próprio retrospecto de Coulthard no GP da Grã-Bretanha - venceu as duas últimas edições - joga contra sua viabilização, além, claro, do avanço da Williams, hoje séria candidata a vencer corridas.Michelin - Pierre Duspasquier, engenheiro-chefe do programa de F-1 da produtora francesa de pneus, confirmou nesta segunda-feira que a empresa já está investigando os motivos de o segundo jogo de pneus de Ralf Schumacher, domingo em Magny-Cours, não ter permitido a sua Williams a mesma velocidade do início da competição. E na Inglaterra, Coulthard deu mais detalhes do erro cometido depois do seu pit stop, quando apertou o botão que desbloqueia o limitador de velocidade ainda dentro da área de 80 km/h de máxima. "Estava conversando com os engenheiros, pelo rádio, me distraí, e cerca de um metro antes da linha limite apertei o botão."Isso lhe custou a vitória no GP da França, segundo o diretor da Mercedes, Norbert Haug, já que o piloto teve de cumprir um stop and go nos boxes. "Em Nurburgring Ralf cruzou a linha branca no asfalto depois do seu pit stop. No domingo foi a vez de Coulthard errar", disse. A boa notícia, segundo Haug, é que a McLaren poderia, de novo, ter vencido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.