Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Verstappen afirma que ter derrotado Hamilton em Interlagos foi especial

Piloto da Red Bull revela que sentiu um prazer especial por batalhar contra campeão do mundo no GP do Brasil de Fórmula 1

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

17 de novembro de 2019 | 17h50

O holandês Max Verstappen, da Red Bull, disse neste domingo que mais do que ter vencido o GP do Brasil de Fórmula 1, o momento especial do dia foi superar o campeão do mundo, Lewis Hamilton, da Mercedes, nas disputas na pista. O piloto ganhador da corrida em Interlagos elogiou o trabalho da equipe no fim de semana e disse que o resultado positivo ajuda a planejar melhorias no carro para 2020.

Verstappen foi o pole position e vencedor do GP do Brasil, em um resultado que lhe fez se redimir do erro do ano passado. O holandês liderou a maior parte da prova, até colidir com o retardatário Esteban Ocon, ter de ir aos boxes e permitir que Hamilton vencesse. Nesta vez o piloto da Red Bull não deu chances para surpresas e venceu pela terceira vez no ano. As outras duas vitórias foram na Hungria e na Áustria.

"Muitas coisas aconteceram nessa corrida. A largada foi boa. Eu tive um problema no começo que meus pneus ficaram muito gastos. Tive a sorte também de o Hamilton ter ficado preso no tráfego no meio da corrida", disse Verstappen. "Batalha contra o atual campeão do mundo é sempre satisfatório. Foi especial ter vencido. Nós nos divertimos bastantes nesta prova", completou.  

Com a vitória no Brasil e o abandono de Charles Leclerc, da Ferrari, o holandês assumiu a terceira posição na classificação geral do campeonato. Se confirmar essa posição ao fim do ano, o ano vai dar a Verstappen o seu melhor resultado da carreira. "É importante ter vencido a corrida. Com isso, aprendemos muito para o próximo ano e isso indica um bom início para nosso trabalho no ano que vem. Estou feliz com o progresso", comentou.

O piloto de 22 anos afirmou que ao ter batalhado com Hamilton ao longo do fim de semana, adquiriu uma boa experiência. "Lewis estava muito veloz, então tive de continuar forçando. O esforço da equipe foi incrível. Os mecânicos foram excelentes nas trocas de pneus. Aprendi o quanto é importante ter um ritmo consistente, porque foi isso que me deu a vitória", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.