Kenzo Tribouillard/AFP
Kenzo Tribouillard/AFP

Verstappen aprova circuito holandês e diz que vai trabalhar para evitar 'o caos'

Em Zandvoort, piloto marcou 1min08s885 para anotar a pole position no retorno da Fórmula 1 ao país após 36 anos

Redação, Estadão Conteúdo

04 de setembro de 2021 | 15h34

Max Verstappen deu um espetáculo em casa e dominou o treino classificatório para o GP da Holanda. Em Zandvoort, ele marcou 1min08s885 para anotar a pole position no retorno da Fórmula 1 ao país após 36 anos. O piloto da Red Bull afirmou que se divertiu no treino e fez a avaliação de que a pole se torna mais importante ainda nessa ocasião em razão da dificuldade de efetuar ultrapassagens no circuito holandês. No entanto, espera uma disputa acirrada pela ponta.

"Nesta pista é importante começar na frente porque é muito difícil ultrapassar aqui, por isso a largada será fundamental e depois temos de cuidar dos nossos pneus e estar em alerta porque novas pistas podem muitas vezes trazer o caos", analisou o holandês. "Espero a Mercedes forte, a lacuna foi reduzida hoje, então amanhã não é tão simples quanto parece".

O objetivo de Verstappen é recuperar a liderança do Mundial de Pilotos neste domingo, em casa. Apenas três pontos separam ele de Lewis Hamilton, que ficou 38 milésimos atrás do rival da Red Bull e largará em segundo na corrida na Holanda.

"Hoje trabalhamos muito bem como equipe e demos mais um bom passo com o carro em comparação com ontem. A qualificação foi bastante complicada com as bandeiras vermelhas, podia-se ver que não havia margem para erros, o que é bom e o torna mais emocionante, mas minha volta em si estava boa", resumiu Verstappen.

O holandês definiu como uma "sensação agradável" dirigir pela primeira vez em casa, sob os olhares dos torcedores nas arquibancadas, e aprovou a pista. "Flui e é rápida como (o circuito de) Suzuka, no Japão, onde você realmente sente a aderência de um carro de Fórmula 1 e é "desafiadora".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.